You are on page 1of 30

CENTRO DE SAÚDE DE PAÇOS DE FERREIRA

16 DE MARÇO DE 2005

INOVAÇÃO EM
CONTRACEPÇÃO HORMONAL
SESSÃO CLÍNICA

HOSPITAL GERAL DE SANTO ANTÓNIO – PORTO


RAQUEL REIS
FACTORES QUE CONDICIONAM A ESCOLHA
DE UM MÉTODO CONTRACEPTIVO
1. IDADE

3. PERFIL DE SAÚDE

5. VALORES CULTURAIS

7. OBJECTIVOS EM TERMOS DE PLANEAMENTO FAMILIAR

9. MODO DE ACÇÃO DOS VÁRIOS MÉTODOS

11. EFICÁCIA CONTRACEPTIVA

13. INCIDÊNCIA DE EFEITOS COLATERIAS

15. COMPLICAÇÕES POTENCIAIS

17. BENEFÍCIOS CONTRACEPTIVOS

19. OUTROS
Reunião consenso sobre contracepção, Setembro 2003
CLASSIFICAÇÃO DOS MÉTODOS
CONTRACEPTIVOS
• CONTRACEPÇÃO ORAL

• CONTRACEPÇÃO DE LONGA DURAÇÃO

• MÉTODOS DE BARREIRA (MECÂNICOS, QUÍMICOS, MISTOS)

7. CONTRACEPÇÃO EM SITUAÇÕES ESPECIAIS


(ADOLESCÊNCIA, PÓS – PARTO)

• CONTRACEPÇÃO EM CONDIÇÕES MÉDICAS


ESPECIAIS (EPILEPSIA; I. RENAL; HEPATOPATIAS; D. HEMATOLÓGICAS, OBESAS; HTA;
DIABETES, ETC)

Reunião consenso sobre contracepção, Setembro 2003


1. CONTRACEPÇÃO ORAL
 PÍLULA COMBINADA

 PÍLULA SÓ COM PROGESTATIVO

 CONTRACEPÇÃO DE EMERGÊNCIA

1. CONTRACEPÇÃO DE LONGA DURAÇÃO


 DIU COM PROGESTATIVO

 DIU COM COBRE

 IMPLANTE COM PROGESTATIVO

 MEDROXIPROGESTERONA

 NOVAS VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DOS ESTROPROGESTATIVOS


CONTRACEPTIVOS:

• ANEL VAGINAL

• SISTEMAS TRANSDÉRMICOS

 ESTERILIZAÇÃO CIRÚRGICA
Reunião consenso sobre contracepção, Setembro 2003
NOVOS MÉTODOS
CONTRACEPTIVOS
 PÍLULA SÓ COM PROGESTATIVO - CERAZETTE®

 IMPLANTE COM PROGESTATIVO - IMPLANON®

 ANEL VAGINAL – NUVA RING®

 SISTEMAS TRANSDÉRMICOS – EVRA®

 DIU COM PROGESTATIVO - MIRENA®


MÉTODOS HORMONAIS
• CONTRACEPÇÃO

• CONTROLO DO CICLO

• DISMENORREIA

• DOR PERI-OVULATÓRIA

• SÍNDROME PRÉ-MENSTRUAL

• SINDROMES DE ANDROGENIZAÇÃO
Reunião consenso sobre contracepção, Setembro 2003
CONTRA-INDICAÇÕES ABSOLUTAS PARA A
UTILIZAÇÃO DE MÉTODOS HORMONAIS
• GRAVIDEZ ACTUAL OU SUSPEITA DE GRAVIDEZ

• NEOPLASIA HORMONO-DEPENDENTE

• ALTERAÇÕES GRAVES DA FUNÇÃO HEPÁTICA OU


HEPATOPATIA EM FASE ACTIVA

• ANTECEDENTES DE AVC, DOENÇA ARTERIAL CEREBRAL


OU CORONÁRIA

• ANTECEDENTES DE TROMBOSE VENOSA PROFUNDA E


DOENÇA PREDISPONDO A ACIDENTE TROMBOEMBÓLICO

• FUMADORA – MAIS DE 15 – 20 CIGARROS / DIA E MAIS DE


35 ANOS.

Reunião consenso sobre contracepção, Setembro 2003


CONTRA-INDICAÇÕES RELATIVAS PARA A
UTILIZAÇÃO DE MÉTODOS HORMONAIS
 DIABETES MELLITUS

 HTA

 LES

 TABAGISMO

 HIPERLIPIDÉMIA

 DEPRESSÃO GRAVE

 SÍNDROMA DE MÁ ABSORÇÃO

 CEFALEIA GRAVE, TIPO ENXAQUECA

Reunião consenso sobre contracepção, Setembro 2003


Cerazette
• PÍLULA DE TOMA CONTÍNUA.

• LIBERTAÇÃO DIÁRIA DE 75 μg DE DESOGESTREL.

• O DESOGESTREL É RAPIDAMENTE ABSORVIDO APÓS A INGESTÃO ORAL,


CONVERTENDO-SE NO SEU METABOLITO ACTIVO, O ETONOGESTREL.

• O ETONOGESTREL POSSUI UM ELEVADO ÍNDICE DE SELECTIVIDADE PARA


OS RECEPTORES DE PROGESTERONA.

• ACTUA INIBINDO A OVULAÇÃO E AUMENTANDO A VISCOSIDADE DO MUCO


CERVICAL.

• SEM ATROFIA ENDOMETRIAL ASSOCIADA.

• NÃO ASSOCIADA A HIPOESTROGENISMO.

• NÃO AFECTA A COMPOSIÇÃO DO LEITE MATERNO NEM A QUANTIDADE


PRODUZIDA.
Cerazette
• EFICÁCIA SEMELHANTE À DAS PÍLULAS COMBINADAS.

• SEM OS EFEITOS SECUNDÁRIOS ATRIBUÍDOS AOS ESTROGÉNIOS.

• MENOR QUANTIDADE E FREQUÊNCIA DE HEMORRAGIAS.

• DIMINUIÇÃO DA DISMENORREIA.

• NÃO TEM EFEITOS SIGNIFICATIVOS NO METABOLISMO DOS LÍPIDOS E DOS


HIDRATOS DE CARBONO.

• POTENCIAL ACÇÃO FAVORÁVEL NA HEMOSTASE.

• NÃO POSSUI EFEITOS CLINICAMENTE IMPORTANTES NA TENSÃO ARTERIAL,


FUNÇÃO HEPÁTICA OU BIOQUÍMICA PLASMÁTICA.

• TOMA CONTÍNUA, MELHOR ADESÃO À TERAPÊUTICA.


Cerazette
 INDICAÇÕES
– CONTRA-INDICAÇÃO À UTILIZAÇÃO DE ESTROGÉNEOS
(FUMADORAS, HIPERTENSAS, ETC)
– AMAMENTAÇÃO

 RISCOS
• AUMENTO DA INSULINO-RESISTENCIA NAS DIABÉTICAS
(SEM IMPORTÂNCIA CLÍNICA RELEVANTE)
• AGRAVAMENTO DOS SINTOMAS DEPRESSIVOS

Reunião consenso sobre contracepção, Setembro 2003


IMPLANON
• IMPLANTE SUBCUTÂNEO CONSTITUÍDO POR 68 mg DE ETONOGESTREL.

• COMPOSTO POR UMA CÂNULA DE VINILACETATO DE ETILENO (EVA),


CONSISTE NUM BASTONETE DE 4cm DE COMPRIMENTO E 2mm DE
DIÂMETRO.

• LIBERTA CERCA DE 30 μg / DIA DE ETONOGESTREL (in vitro).


CONCENTRAÇÃO ADEQUADA PARA PREVENIR A GRAVIDEZ POR UM
PERÍODO DE 3 ANOS.

• A EFICÁCIA CONTRACEPTIVA INICIA-SE 8 HORAS APÓS A INSERÇÃO DO


IMPLANTE E VERIFICA-SE UM RÁPIDO RETORNO À FERTILIDADE PRÉ-
EXISTENTE APÓS A REMOÇÃO

2 mm Membrana de controlo da taxa de libertação (0,06 mm)


Núcleo: 40% EVA + 60% etonogestrel
40 mm Membrana: 100% EVA
IMPLANON
• ACTUA INIBINDO A OVULAÇÃO E AUMENTANDO A VISCOSIDADE DO MUCO
CERVICAL.

• PADRÃO DE HEMORRAGIA ALTERADO DEVIDO AO USO DE UM


CONTRACEPTIVO SÓ COM PROGESTAGÉNIO.

• METABOLICAMENTE:

 ACTIVIDADE MÍNIMA SOBRE OS PARÂMETROS LIPÍDICOS


 RELACIONADO COM AUMENTO MODERADO DA RESISTÊNCIA À
INSULINA, MAS SEM ALTERAÇÕES CLINICAMENTE SIGNIFICATIVAS NOS
NÍVEIS DE GLICOSE
 ACÇÃO MUITO LIMITADA SOBRE AS VARIÁVEIS HEMOSTÁTICAS
(SEMELHANTES ÀS DE UMA PÍLULA COM 30 μg de EE / 150 μg de LN)
TÉCNICA DE INSERÇÃO
IMPLANON
 EFEITOS SECUNDÁRIOS
• ACNE (19%)

• CEFALEIAS (17%)

• MASTALGIA (9%)

• DORES ABDOMINAIS (8%)

• AUMENTO DE PESO (6,5%)

• TONTURAS (6,5%)

• INSTABILIDADE EMOCIONAL (5%)

• DIMINUIÇÃO DA LÍBIDO (3%)

• NAÚSEAS (3%)
(Urbancsek J. Contraception 1998; 58:109S-15S)
IMPLANON
 INDICAÇÕES
1. CONTRA-INDICAÇÃO AOS ESTROGÉNEOS

3. DIFICULDADE NA UTILIZAÇÃO DE OUTROS MÉTODOS

5. FLUXO MENSTRUAL ABUNDANTE / HIPERMENORREIA /


MENORRAGIA

 DESVANTAGENS
• INTERVENÇÃO CIRÚRGICA MÍNIMA PARA A REMOÇÃO

Reunião consenso sobre contracepção, Setembro 2003


NUVA RING
• 1 ANEL POR CICLO

• REGIME:
– 3 SEMANAS COM ANEL
4 mm – 1 SEMANA SEM ANEL

• DOSE HORMONAL DIÁRIA:


– 15 μg DE
ETINILESTRADIOL
54 mm
– 120 μg DE
ANEL VAGINAL PARA ETONOGESTREL
CONTRACEPÇÃO HORMONAL
COMBINADA
NUVA RING
• ACTUA INIBINDO A OVULAÇÃO E AUMENTANDO A VISCOSIDADE DO MUCO
CERVICAL.

• PADRÃO DE HEMORRAGIA DE PRIVAÇÃO REGULAR NA MAIORIA DAS


MULHERES (98,5% DOS CICLOS).

• MÉTODO BEM TOLERADO PELAS UTILIZADORAS E SEUS COMPANHEIROS.

• METABOLICAMENTE:
– POSSUI UMA ACTIVIDADE MÍNIMA SOBRE OS PARÂMETROS LIPÍDICOS
– NÃO TEM QUALQUER ACÇÃO RELEVANTE SOBRE O METABOLISMO DOS
HIDRATOS DE CARBONO.
– ACÇÃO MUITO LIMITADA SOBRE AS VARIÁVEIS HEMOSTÁTICAS (SEMELHANTES
ÀS DE UMA PÍLULA COM 30 μg de EE / 150 μg de LN)

• SEM QUALQUER ACÇÃO DESFAVORÁVEL SOBRE O COLO DO ÚTERO OU A


VAGINA.
NUVA RING
 UTILIZAÇÃO DA VIA VAGINAL

• Independente da toma diária

• Possível a libertação contínua da medicação

• Discreto

• Possibilidade duma administração a longo prazo

• Dose terapêutica mais baixa

• Rápida absorção da medicação

• Não há uma 1ª passagem metabólica hepática

• Sem as interferências da absorção gastrointestinal


NUVA RING
INSERÇÃO E REMOÇÃO DO ANEL
INSERÇÃO E REMOÇÃO DO
ANEL
NUVA RING
 EFEITOS SECUNDÁRIOS

• CEFALEIAS (5,8%)

• VAGINITE (5,6%)

• LEUCORREIA (4,8%)

• QUEIXAS RELACIONADAS COM O USO DO ANEL (4,4%)


(Inclui sensação de corpo estranho, problemas durante o coito e expulsão vaginal)

• AUMENTO DE PESO (4,0%)

• NÁUSEAS (3,2%)

• ACNE (2,0%)
Dieben e col. 2002
NUVA RING
NUVA RING
 INDICAÇÕES  VANTAGENS
– AS MESMAS DA • APLICAÇÃO MENSAL
CONTRACEPÇÃO ORAL ÚNICA PELA PRÓPRIA
COMBINADA • CONCENTRAÇÕES
– INTOLERÂNCIA À TOMA HORMONAIS MAIS
ORAL DOS ESTÁVEIS
ESTROPROGESTATIVOS • EVITA A PRIMEIRA
PASSAGEM HEPÁTICA
 CONTRA – INDICAÇÕES
• AS MESMAS DA  DIFICULDADES
CONTRACEPÇÃO ORAL • TABUS SOBRE A
COMBINADA MANIPULAÇÃO GENITAL
• ALTERAÇÕES DO • RECEIO DO CASAL DE
PAVIMENTO PÉLVICO DESCONFORTO DURANTE
O ACTO SEXUAL

Reunião consenso sobre contracepção, Setembro 2003


EVRA
• CONTRACEPÇÃO TRANSDÉRMICA
• SISTEMA : 20 CM2 (4,5X 4,5)
• LIBERTAÇÃO DIÁRIA :
• 150 μg NORELGESTROMIN
• 20 μg ETINILESTRADIOL
• DURAÇÃO MÁXIMA : 7-9 dias
• É NECESSÁRIO UM ESFORÇO CONSIDERÁVEL PARA PASSAR A BARREIRA DA PELE. A
ABSORÇÃO HORMONAL NÃO É REGULAR.
• DEVE SER APLICADO EM PELE LIMPA, SECA, SEM PÊLOS, SAUDÁVEL E INTACTA. NA
NÁDEGA, ABDÓMEN, NA REGIÃO EXTERNA DO BRAÇO OU NA PARTE SUPERIOR DO
TRONCO.
• NÃO DEVE SER COLOCADO NA MAMA OU EM PELE VERMELHA, IRRITADA OU
ESFOLADA.
• ACTUA INIBINDO A OVULAÇÃO E PROVOCANDO ALTERAÇÕES DO MUCO CERVICAL E
ENDOMÉTRIO.
• POSSUI UM PADRÃO DE HEMORRAGIA DE PRIVAÇÃO REGULAR. CONTUDO, VÁRIAS
UTILIZADORAS APRESENTAM CICLOS DE AMENORREIA.
• EFEITOS SECUNDÁRIOS SEMELHANTES AOS DESCRITOS PARA OS ACO’s.
EVRA
 INDICAÇÕES  VANTAGENS
– AS MESMAS DA – CONCENTRAÇÕES
CONTRACEPÇÃO ORAL HORMONAIS MAIS
COMBINADA ESTÁVEIS
– INTOLERÂNCIA À TOMA – EVITA A PRIMEIRA
ORAL DOS PASSAGEM HEPÁTICA
ESTROPROGESTATIVOS

 CONTRA – INDICAÇÕES  DESVANTAGENS


– AS MESMAS DA – FALHA DA ADESIVIDADE
CONTRACEPÇÃO ORAL DO SISTEMA
COMBINADA

Reunião consenso sobre contracepção, Setembro 2003


MIRENA
 SISTEMA INTRA-UTERINO DE
LEVONOGESTREL.
 TAXA DE LIBERTAÇÃO INICIAL DE 20
μg LEVONOGESTREL / 24 HORAS.
 MECANISMO DE ACÇÃO:
• ESPESSAMENTO DO MUCO CERVICAL
• ATROFIA ENDOMETRIAL
• INIBE A MOTILIDADE DOS
ESPERMATOZÓIDES
• ALGUM EFEITO INIBITÓRIO DA
OVULAÇÃO
 COMPLICAÇÕES:
• INFECÇÃO
• EXPULSÃO
• PERFURAÇÃO
 EFEITOS ACESSÓRIOS:
• AMENORREIA
 EFEITOS INDESEJADOS:
1. SPTOTTING INICIAL
2. QUISTOS FUNCIONAIS DO OVÁRIO
3. IRRITABILIDADE
4. CEFALEIAS
5. AUMENTO DE PESO
MIRENA
• INDICAÇÕES
– HIPERMENORREIA / MENORRAGIA
– HEMORRAGIA ABUNDANTE COM O DIU DE COBRE
– HIPERPLASIA SIMPLES DO ENDOMÉTRIO
– CONTRACEPÇÃO NA PERIMENOPAUSA

• CONTRA-INDICAÇÕES
– GRAVIDEZ
– MALFORMAÇÃO UTERINA QUE INTERFIRA COM EFICÁCIA
– METRORRAGIAS NÃO DIAGNÓSTICADAS
– DIP AGUDA E ATÉ 3 MESES APÓS A CURA

Reunião consenso sobre contracepção, Setembro 2003


MOMENTO DE INSERÇÃO
II. SEM USO PRÉVIO DE UM CONTRACEPTIVO HORMONAL

IV. MUDANDO DE UM CONTRACEPTIVO ORAL COMBINADO

VI. MUDANDO DE UM CONTRACEPTIVO SÓ COM PROGESTAGÉNIO /


INJECTÁVEL / OUTRO TIPO DE IMPLANTE

VIII. A SEGUIR A UM ABORTAMENTO OCORRIDO NO PRIMEIRO


TRIMESTRE

X. A SEGUIR AO PARTO