You are on page 1of 12

APOSTILA ELETRÔNICA GERAL MÓDULO - 3

AULA TRANSMISSÃO-RECEPÇÃO FM
FM - Frequência Modulada
A modulação FM - faixa ocupada pela emissora
A transmissão estereofônica - sinal multiplex
12 Emissora de rádio FM - diversos projetos
Receptor FM monofônico - demodulação
FM - FREQUÊNCIA MODULADA
Depois de estudarmos o rádio AM, onde o sinal variar a portadora em frequência. Na verdade, o que
modulante fazia a portadora variar em amplitude, realmente existe, quando falamos em sinal é o
vamos ver agora, a modulação em frequência ou desenho em traço cheio, sendo o tracejado utilizado
FM. Esta modulação ganhou força devido ao para mostrar onde estaria o sinal de áudio, atuando
problema enfrentado pela modulação AM, que sobre a portadora.
dependia da amplitude do sinal, e portanto durante Mas voltando ao processo de FM, para entende-lo
a transmissão, era normal sofrer alterações em sua melhor, vamos tomar como exemplo, um modulador
amplitude, já que ele tinha que percorrer muitos de FM baseado em um oscilador Hartley com diodo
quilômetros e muitas vezes sofrer reflexões ou varicap, como mostra a figura 2.
refrações, fazendo com que a amplitude do sinal
sofresse varias distorções alterando assim o sinal MODULADOR DE FM FM (RF)
figura 2
demodulado no aparelho receptor. +Vcc
+Vcc
Na modulação em FM a amplitude do sinal é
constante e caso ela sofra distorções durante sua L3
OUT R4
C3
transmissão, não alterará o sinal demodulado no R1
receptor, trazendo assim uma melhor qualidade no L4
C2
som. L1
R3 R5
T1 C1
A modulação em frequência consiste basicamente
em modular uma portadora através de um sinal de R2
C4

baixa frequência, geralmente áudio, fazendo com L2 D1 IN


que a portadora altere sua frequência através das
variações de amplitude do sinal modulante. O AUDIO
resultado será uma portadora de amplitude fixa,
mas com frequência variando proporcionalmente às Este oscilador foi montado usando um diodo varicap
variações do sinal modulante. Veja a comparação (D1) junto ao tanque ressonante, onde dependendo
entre a modulação em amplitude (forma de onda a) da tensão aplicado sobre ele, teremos variação na
e a modulação em frequência (forma de onda b) que frequência de ressonância. Então, aplicando um
mostramos na figura 1. sinal de áudio na entrada (IN) faremos a tensão
sobre D1 variar de acordo com a amplitude do sinal
figura 1
de áudio, gerando na saída (OUT) uma portadora
variando sua frequência constantemente de acordo
com o sinal de áudio.
SINAL
MODULADO A portadora modulada em FM terá sua frequência
EM AM-RF variando exatamente igual à amplitude do sinal de
áudio: se a amplitude do áudio aumentar, a
frequência da portadora também aumenta; se a
amplitude do sinal de áudio diminuir a frequência
SINAL também diminui; quando o sinal de áudio estiver no
MODULADO
EM FM-RF nível zero de referência, a portadora terá sua
frequência central, como ilustra o gráfico da figura 3.
Na parte de cima temos a portadora sem modulação
com sua frequência central constante; na parte
Nesta figura, vemos em tracejado, o sinal de áudio central o sinal de áudio que irá entrar no modulador
ou sinal modulante, que na modulação AM, faz e na parte de baixo, a portadora já modulada com
variar a portadora em amplitude. Na figura de baixo, sua frequência variando de acordo com as
vemos o mesmo sinal de áudio (tracejado) que faz amplitudes do sinal de áudio. Observando em

ELETRÔNICA AMPLIFICADORES A, B, C, AB - OSCILADORES - SISTEMAS DE TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO 121


APOSTILA ELETRÔNICA GERAL MÓDULO - 3
MODULADOR FM DIGITAL
PORTADORA
RF +5V +5V +5V +5V

T4 R5 R6 T3
R3 R4
AF C2 C1
SINAL DE _
AUDIO Q Q SINAL MODULADO EM
FREQÜÊNCIA (FM)
T2
SINAL
MODULADO T1
EM FM-RF
ENTRADA DE
figura 3 SINAL DE AUDIO figura 4

detalhes a figura, vemos que o sinal de áudio, 108MHz, ou seja, 20MHz dedicados somente à
possui uma porção inicial que não varia, o que transmissão de sinais de áudio.
mantém a frequência da portadora de FM Inicialmente, a padronização acabou permitindo
constante. Logo em seguida, o sinal de áudio que cada emissora pudesse ter cerca de 50kHz de
começa a variar para nível positivo; acompanhando banda total, permitindo que na faixa de 88 à 108
a frequência da portadora, vemos que vai MHz coubessem cerca de 400 emissoras em uma
aumentando à medida que o sinal de áudio aumenta determinada região (dividimos o total da faixa que é
sua amplitude; logo, o áudio começa a diminuir sua de 20MHz pelo espaço ocupado pelo que seria
tensão, fazendo a portadora começar a diminuir sua utilizado por cada emissora que é de 50kHz,
frequência, até que o áudio chega à sua menor resultando em 400 emissoras).
amplitude, diminuindo a frequência da portadora de Utilizar-se do espaço de 50kHz para cada emissora
FM ao seu valor mínimo. A variação entre a maior é muito mais do que os 10kHz para as emissoras de
frequência (dada pela maior amplitude do áudio) e a AM, visto que em FM podemos utilizar toda a faixa
menor frequência (dada pela menor amplitude do de frequência audível: 20Hz à 20kHz. Assim,
áudio) é chamada de DESVIO. modulando uma portadora, haveria um mínimo de
Assim, nosso modulador de FM (figura 2) alterará 40kHz de banda lateral inferior ou superior, e
sua frequência como foi dito acima. considerando o desvio que ocorre na frequência
Na aula 8 (M3), tínhamos visto um modulador FM (cerca de 10kHz) resultará em 50kHz de faixa total
digital formado por um astável, transformado em ocupada para cada emissora. Veja a figura 5.
VCO (voltage controlled oscilator), ou seja, Escolhemos uma emissora com portadora de
oscilador controlador por tensão, que não usa um 100MHz, onde vemos que as variações de
oscilador senoidal, como vimos na figura 2, e sim amplitude do sinal de áudio, produzirá um desvio na
um circuito digital para obter a modulação ou portadora de +5kHz e -5kHz (10kHz no total). Este é
variação na frequência. A tendência atual é de cada apenas o desvio que corresponde às variações de
vez mais utilizar circuitos digitais que de alguma amplitude do áudio. O problema é que sobre o
forma criem as condições ou frequências que desvio ainda teremos a geração da banda lateral
anteriormente eram obtidas com circuitos superior e também da inferior, ou seja, 20kHz a mais
analógicos. O circuito do modulador de FM digital, para a banda lateral superior, à partir da frequência
analisado na aula 8 pode ser visto na figura 4. máxima do desvio e 20kHz a menos para a banda
lateral inferior, à partir da frequência mínima do
A FAIXA DE FM E TOTAL DE EMISSORAS desvio.
Assim, somado o desvio às bandas laterais,
A faixa de frequência modulada para transmissões teremos um total de faixa ocupada de 50kHz, que
radiofônicas, situa-se na faixa de VHF, ou Very High passaria a ser o padrão de canaletas (áreas onde
Frequency, mais especificamente entre 88 à são colocados os canais).
desvio = 10kHz
figura 5

AUDIO DESVIO AUDIO


sinal de BLI FM BLS
áudio
mono

0Hz 20Hz a 20kHz 20Hz a 20kHz


20Hz 20kHz DESVIO + BLI = 25kHz DESVIO + BLS = 25kHz
99,975MHz 100MHz 100,025MHz
faixa de frequência utilizada pela emissora = 50kHz

122 AMPLIFICADORES A, B, C, AB - OSCILADORES - SISTEMAS DE TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO ELETRÔNICA


APOSTILA ELETRÔNICA GERAL MÓDULO - 3
O SINAL MONO E O SINAL STEREO (canal direito).
Considerando que todos os receptores estavam
Já havíamos comentado sobre o sinal estéreo preparados para utilizar o sinal MONO (L+R), tinha
(stereo), na matéria sobre os amplificadores de que ser criado algum outro sinal para que fosse
áudio com dois canais, onde afirmamos que é levado por este (L+R) em um sistema de mistura
possível entre o espaço entre as duas caixas L (Left) que chamaram de multiplexação.
e R (right), conseguir uma sensação de que o som Na figura 7, podemos ver como os sinais L e R, são
provém de várias direções. enviados até um bloco chamado de multiplex, onde
tem que sair em uma única via, que
figura 6 além dos sinais para formação
canal
estéreo, devem também excitar os
esquerdo
L (Left)
receptores de FM monofônicos. Após
CIRCUITO DE
MODULAÇÃO E esse sinal complexo vai modular a
TRANSMISSÃO portadora de FM, sendo amplificado
canal SINAL
direito MONO DA PORTADORA em potência indo a etapa de potência e
R (Right) (também
chamado DE FM antena.
L+R)
A figura 8, mostra como os sinais L+R e
L-R são criados. Após os pré-
amplificadores, os sinais L e R acabam
Mas, apesar de termos há décadas a reprodução se encontrando através de dois resistores onde
estereofônica, proveniente dos discos de vinil, este somam-se. Ao mesmo tempo, o sinal ( R ) passará
sinal era pré-amplificado e em uma somatória por um inversor, tornando-se invertido, ou seja, ( -R
simples, criava-se o sinal L+R, que nada mais é do ). Este sinal somar-se-a ao sinal L, também através
que um único sinal levando misturados dos dois de dois resistores, criando o sinal L-R. Notem que
canais de áudio (veja a figura 6). Este sinal também
é chamado de monaural ou simplesmente MONO, figura 8
canal
ou sinal proveniente de uma única fonte. Mesmo esquerdo L L+R
que esse sinal seja reproduzido por duas caixas, a L (Left)

sensação para o ouvido, será que o sinal provém


do centro, ou seja, de uma única direção. L+R L-R
canal
Após, este sinal MONO, ou sinal L+R , irá até o direito
circuito de modulação, onde o sinal de áudio R (Right) R -R
modulará uma portadora em frequência e após
haverá a amplificação de RF para excitar uma
antena transmissora.
se os sinais L e R, forem exatamente iguais, na
O ADVENTO DA primeira somatória haverá a somatória destes e
TRANSMISSÃO ESTEREOFÔNICA ganho em tensão. Após o sinal R ser invertido, e
somado ao sinal L, como tem a mesma amplitude e
Na década de 50 nos Estados Unidos, começaram estão invertidos, haverá o cancelamento dos sinais,
as pesquisas para a criação de uma nova não gerando o sinal L-R. Nas gravações,
modulação em amplitude, chamada de portadora normalmente o áudio do cantor ou do narrador é
suprimida que abriu espaço para a transmissão dos gravado com o mesmo nível nos dois canais. Já a
sinais em cores para a TV (sistema NTSC) com a trilha sonora possui diferenças entre o canal L e R.
criação dos sinais R-Y e B-Y, que iam modular uma Assim, o sinal L-R não terá voz do cantor, mas terá
portadora de frequência de 3,58MHz. os instrumentos que possuem níveis diferentes
Como tínhamos os rádio receptores de FM entre os canais L e R. Podemos dizer então que o
definidos com determinada faixa de sintonia, era sinal L-R pode ser usado como um efeito de
necessário criar uma multiplicação de sinais que karaokê, desde que seja amplificado e vá para as
levassem tanto o sinal L (canal esquerdo) como o R caixas acústicas.

figura 7 SINAL MULTIPLEXADO STEREO


canal
esquerdo
L (Left)
CIRCUITO DE
CANAL L FORMAÇÃO MODULAÇÃO E
DO SINAL TRANSMISSÃO
canal MULTIPLEX DA PORTADORA
direito
R (Right) CANAL R PARA STEREO DE FM

ELETRÔNICA AMPLIFICADORES A, B, C, AB - OSCILADORES - SISTEMAS DE TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO 123


APOSTILA ELETRÔNICA GERAL MÓDULO - 3
figura 9 figura 10
a j
L+R +
a) sinal de áudio L+R
h
b MODULADOR e
L-R BALANCEADO
+
DO SINAL L-R

f b) sinal de áudio L-R


OSCILADOR
38kHz ÷2
c

A FORMAÇÃO DO SINAL MULTIPLEX c) sinal do oscilador de 38kHz

Para a transmissão estereofônica, necessitaremos do sinal


L+R (mono) para excitação dos receptores monofônicos,
como já falamos anteriormente, como mostra o sinal presente
no ponto [a] do circuito da figura 9. O aluno deverá
acompanhar toda a explicação com as formas de ondas da d) sinal L-R modulado com portadora suprimida 38kHz
figura 10.
Comparando o sinal L+R (forma de onda [a]), com o sinal L-R
(forma de onda [b]), podemos afirmar que possuem
diferenças de frequências entre eles.
Como vemos na figura 9, o sinal L+R segue pelo lado de cima
da figura, indo diretamente até um somador. Antes de e) sinal L-R modulado com portadora suprimida 38kHz
sabermos o que acontecerá neste somador, vamos verificar o
processamento do sinal L-R [b].
O sinal L-R [b] entrará em um modulador balanceado, que
necessitará de uma portadora, que no caso será de 38kHz f) sinal de 19kHz (38kHz dividido por 2)
(mostrada na figura [c]). Nos semi-ciclos positivos desta
portadora, levará para a saída do modulador variações em
fase do sinal L-R e nos semi-ciclos negativos as variações em
contra-fase do sinal L-R, formando a onda mostrada em [d].
Esta onda, mostra a amplitude do sinal L-R em tracejado,
ocorrendo tanto para cima como para baixo de um eixo zero g) sinal 38kHz, variando com o sinal de 19kHz e sinal L-R
(central). Já a forma de onda [e], passa a resultante do sinal
sem o tracejado, ou seja, real.
Chamamos esta técnica de modulação de “portadora
suprimida”, pois somente aparecem variações de 38kHz na
saída do modulador balanceado, caso haja sinal na entrada
deste mesmo modulador. Caso não haja sinal L-R, nada h) sinal 38kHz, variando com o sinal de 19kHz e sinal L-R
portanto sairá do modulador. Como este sinal será misturado
a outro, esta técnica reduz enormemente a interferência deste
sinal de 38kHz sobre o outro (que no caso será o sinal L+R).
O problema encontrado por esta técnica é que ela necessita
de um oscilador no receptor de rádio, para conseguir-se a
demodulação do sinal L-R, pois não consegue-se fazer com i) sinal 38kHz, variando
com o sinal de 19kHz e sinal
diodo convencional. Além disso, este oscilador deverá ter a L-R com ondulação de menor
mesma frequência e fase, ou seja, comandar o demodulador frequência do sinal L+R
sincronizadamente com o oscilador da emissora. Para isso,
necessitaremos de um sinal que sincronizará o oscilador de
38kHz do receptor. Este sinal é chamado de PILOTO e pode
ser visto na forma de onda [f]. Para não se misturar com a
portadora de 38kHz que leva variações em amplitude, o sinal j) sinal 38kHz, variando
PILOTO deve ser dividido por 2, tornando-se portanto, uma com o sinal de 19kHz e sinal
L-R com ondulação de menor
portadora de nível constante em 19kHz. frequência do sinal L+R

124 AMPLIFICADORES A, B, C, AB - OSCILADORES - SISTEMAS DE TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO ELETRÔNICA


APOSTILA ELETRÔNICA GERAL MÓDULO - 3
Quando este sinal soma-se ao sinal L-R, sinal [e] 11, ou seja:
com o sinal [f], surge um novo sinal, com algumas a) sinal de áudio L+R (monofônico) que levará as
variações estranhas de amplitude (veja a forma de informações tanto do canal L, quanto do canal R.
onda em [g]). Quando retiramos o tracejado que b) sinal PILOTO com frequência de 19kHz, que será
representa as variações de áudio do sinal L-R, utilizado para sincronizar a portadora de 38kHz que
ficamos com a forma de onda mostrada em [h]. deverá ser criada no receptor, para a demodulação
Assim, até aqui, já temos o sinal L-R, modulado com do sinal L-R.
uma portadora suprimida de 38kHz, que c) sinal L-R que modula uma portadora de 38kHz e
chamaremos de (L-R)rf, e contendo ainda que gera duas bandas laterais de 18kHz para cada
variações de 19kHz, que dizem respeito ao sinal lado, sendo que a banda lateral inferior (BLI)
PILOTO para sincronização do oscilador no começa em 20kHz, indo até a frequência de
receptor. portadora de 38kHz; logo acima desta começará a
Faltará somente somar o sinal [h] ao sinal L+R banda lateral superior (BLS) que terminará em
(forma de onda [a]). As somatórias que estamos nos 56kHz.
referindo, são somente somatórias de dois sinais Apesar dos sinais serem de frequências diferentes,
encontrando-se após dois resistores, não sendo um eles serão transportados da mesma forma que o
circuito complexo. sinal L+R era transportado anteriormente:
Voltando ao sinal [h] e [a], podemos observar que modulando em frequência uma dada portadora.
são bem diferentes, sendo um de frequência um Assim, se o sinal multiplex vai modular em
pouco mais baixa (20Hz à 18kHz), que é o sinal frequência a portadora da emissora, haverá a
L+R, e o outro sinal uma combinação de modulação geração de resultantes das bandas laterais tanto
em portadora suprimida, com bandas laterais para cima como para baixo, como mostra a figura
variando de 38kHz até próximo a 20kHz (banda 12. Isto significa que ao modular uma portadora de
lateral inferior) e também até cerca de 56kHz 100MHz, haverá o desvio de 10kHz na portadora
(banda lateral superior), além claro do sinal piloto. (variações da amplitude do áudio) e além disso,
Quando os sinais [a] e [h] são somados , gerará a uma somatória da portadora com a banda lateral
variação mostrada em [ i ] que mostra uma superior (sinal multiplex) com 56kHz para cima, e o
ondulação no sinal de alta frequência (piloto em mesmo na banda lateral inferior com 56kHz. Isto
19kHz e a modulação centrada em 38kHz). gerará uma banda utilizada de 112kHz e somando a
isso o desvio, teremos uma ocupação de 122kHz.
figura 11
Dissemos anteriormente que a modulação em FM,
utilizando somente do sinal de áudio variando de
20Hz à 20kHz, geraria uma ocupação de banda
L+R para cada canal de 50kHz. Já para transmitir e
L-R L-R reproduzir o sinal estéreo, devemos utilizar uma
BLI BLS
banda mínima de 122kHz.
Considerando agora que a faixa de FM, que vai de
áudio de 20Hz à 18kHz áudio de 20Hz à 18kHz áudio de 20Hz à 18kHz
88MHz até 108MHz, ou seja, 20MHz, resultaria em
19kHz 38kHz uma quantidade de 164 emissoras para essa faixa,
considerando o cálculo de 122kHz de faixa para
Na verdade, a forma de onda final, do sinal cada emissora. Agora, com o cálculo feito à partir de
multiplex, é vista na onda [j] , onde não vemos o uma faixa de proteção entre emissoras, com cerca
tracejado, mas o efeito que ele causa na onda. de 25kHz, teríamos uma faixa de aproximadamente
Desta forma, temos os sinais necessários para a 150kHz para cada emissor, permitindo 133
transmissão estereofônica, como mostra a figura emissoras para cada região, na faixa de FM.

FAIXA TOTAL OCUPADA POR UMA EMISSORA QUE TRANSMITIRIA O SINAL ESTÉREO

BANDA LATERAL INFERIOR COM 56kHz +DESVIO DE 5kHz BANDA LATERAL SUPERIOR COM 56kHz +DESVIO DE 5kHz

figura 12

DESVIO
L+R DE L+R
FM
L-R L-R L-R L-R
BLS BLI BLI BLS

áudio de 20Hz à 18kHz áudio de 20Hz à 18kHz áudio de 20Hz à 18kHz áudio de 20Hz à 18kHz áudio de 20Hz à 18kHz áudio de 20Hz à 18kHz

PORTADORA
38kHz 19kHz DA EMISSORA 19kHz 38kHz
EM 100MHz

ELETRÔNICA AMPLIFICADORES A, B, C, AB - OSCILADORES - SISTEMAS DE TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO 125


APOSTILA ELETRÔNICA GERAL MÓDULO - 3

DESVIO NA PORTADORA SCA (FM)


O SEGUNDO CANAL DE AUDIO - SCA

SCA - BLS
Pesquisas foram feitas durante a década de 50 e 60 e notaram que seria
possível colocar mais um sinal misturado (multiplexado), ao sinal multiplex.
A idéia seria transmitir um sinal de áudio completamente independente, para

BANDA LATERAL SUPERIOR COM 56kHz +DESVIO DE 5kHz + SCA com 40kHz = 96kHz
prestar um serviço às empresas, oferecendo um SEGUNDO CANAL DE

FAIXA TOTAL OCUPADA POR UMA EMISSORA QUE TRANSMITIRIA O SINAL ESTÉREO (192kHz de ocupação dos sinais e bandas laterais, ficando definido um total de 200kHz para cada emissora
ÁUDIO, sem interrupções com propagandas.

76kHz
Como esse segundo sinal tem como objetivo criar um sistema de SOM
AMBIENTE, não se aplica o efeito estereofônico, sendo um sinal sendo os
canais L e R, somados para gerar o sinal MONOFÔNICO, mas com resposta

SCA - BLI
de 20Hz à 15kHz e qualidade no som.
figura 13

áudio de 20Hz à 18kHz


SINAL
SINAL

BLS
L-R
MULTIPLEX
MULTIPLEX JÁ COM SCA
+

38kHz
áudio de 20Hz à 18kHz
canal
esquerdo L

L-R
BLI
L (Left)

19kHz
L+R MODULADOR

áudio de 20Hz à 18kHz


DE FM
76kHz

L+R
canal R
direito
R (Right)

DA EMISSORA
PORTADORA

EM 100MHz
DESVIO

FM
DE

áudio de 20Hz à 18kHz


Na figura 13, podemos ver que o sinal de áudio proveniente de uma fonte
completamente independente dos sinais estereofônicos comentados

L+R
anteriormente, cria dois novos sinais L e R, que são pré-amplificados e
depois somados, formando outro sinal L+R. Após o sinal MONO, vai modular
BANDA LATERAL INFERIOR COM 56kHz +DESVIO DE 5kHz + SCA com 40kHz = 96kHz

19kHz
uma portadora de FM com frequência de 76kHz, saindo uma modulação em

áudio de 20Hz à 18kHz


FM, como apresentada na
figura 14, formando a partir de
L-R
BLI
76kHz um desvio que será de
10kHz mais as bandas laterais SCA - BLI SCA - BLS
superior e inferior, ocupando 38kHz
(FM)de 20Hz à 18kHz

uma faixa de cerca de 40kHz.


Essas variações em FM, 76kHz DESVIO NA PORTADORA SCA (FM)
BLS
L-R

figura 14
somar-se-ão ao sinal multiplex
áudio

(analisado anteriormente),
DESVIO NA PORTADORA SCA

como mostramos na figura 15, sendo após estes sinais levados ao


modulador de FM da emissora (em nosso exemplo 100MHz), onde todos
SCA - BLS

serão transmitidos. Finalmente teremos a faixa verdadeira ocupado pelo figura 16


sinal estereofônico mais o sinal SCA (Segundo Canal de Áudio). Em relação
à portadora de FM do canal que é de 100MHz, serão formadas bandas
laterais que ocuparão de 99,8MHz até 100,2MHz, ficando assim definido
76kHz

200kHz de banda para cada emissora, como podemos ver na figura 16.

figura 15
SCA - BLI

L+R
L-R L-R
BLI BLS
SCA - BLI SCA - BLS

19kHz 38kHz 76kHz DESVIO NA PORTADORA SCA (FM)

126 AMPLIFICADORES A, B, C, AB - OSCILADORES - SISTEMAS DE TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO ELETRÔNICA


APOSTILA ELETRÔNICA GERAL MÓDULO - 3
CANALIZAÇÃO DAS EMISSORAS DE FM CANALIZAÇÃO
Após todo o estudo feito sobre estereofonia e SCA, que DA FAIXA DE FM
ocupam uma faixa de quase 100kHz (96kHz) e após a CANAL FREQ. CANAL FREQ. CANAL FREQ.
modulação em frequência na portadora do canal, acabam
ocupando uma faixa de quase 200kHz, devido às bandas
laterais, podemos ver na tabela ao lado todos os canais da
faixa de 88MHz até 108MHz, totalizando 100 canais ou
emissoras de rádio.
Notem também que a frequência central do canal 201 está
especificada como sendo em 88,1MHz, que significará que
este canal ocupará a faixa que vai de 88MHz até 88,2MHz,
tendo sua frequência de portadora centrada em 88,1MHz.
Assim, o canal ou emissora 245, possui uma faixa ocupada
que vai de 96,8MHz até 97MHz (totalizando 0,2MHz ou
200kHz), tendo sua frequência de portadora em 96,9MHz.
Apesar do Brasil, as frequências que terminam em .1, em .3,
em .5, em .7, e em .9, alguns usam também .0, .2, .4, .6, e .8.
Ainda outros usam também .05, .15, .25, .35, .45, .55, .65, .75,
.85, e .95, não permitindo nesse caso a transmissão
estereofônica.

Plano para a Região I - América do Norte:


O plano original de faixa de frequência para a América do
Norte, usou inicialmente 42MHz até 50 MHz, que foi alterado
em 1945. Atualmente, no Canadá e Estados Unidos, cada
canal é numerado de 200 (87,9 MHz) a 300 (107,9 MHz) com
incrementos de 200kHz.
Nos Estados Unidos, as frequências entre 87,9MHz até
91.9MHz são reservadas para estações não comerciais, como
por exemplo ensino religioso ou educacional. As frequências
de 92,1MHz até 107,9MHz, podem conter estações comerciais
ou não comerciais (Canadá e México não observam esta
especificação).
Inicialmente os países da antiga União das Repúblicas
Socialistas Soviéticas, utilizaram uma faixa de FM de 65,8MHz
a 74 MHz, com exceção das antigas Alemanha Oriental e
iugoslávia, que sempre usaram as frequência de 87,5MHz a
108MHz, na mesma linha a europa ocidental.
Depois do colapso dos governos comunistas na Europa
Oriental, a faixa de 87,5MHz a 108MHz, começou a ser
adotada e atualmente é usada em todos os países, visto que
este processo favoreceu a padronização entre os países
europeus.

Plano de canalização japonês:


A faixa de FM no Japão vai de 76MHz à 90MHz. A faixa que vai de 90MHz até 108MHz é usada para o
áudio da tevê para os canais 1, 2 e 3 da faixa de VHF. Como a faixa de FM, comporta comente 80
emissoras, muitas estações de rádio comerciais são forçadas a usar a faixa de AM.
Muitos rádios japoneses são projetados para serem capaz de receber de 76MHz a 108MHz, permitindo a
eles, não somente funcionar no Japão, mas serem exportados para quase todos países.
Na década de 80 até final de 90, os automóveis importados do Japão, continham um rádio projetado para a
faixa japonesa de FM, sendo que os importadores adaptaram conversores para baixo, permitindo captar
emissoras de 87,5MHz até 109,9MHz. Apesar deste conversor permitir a sintonia de todas as emissoras
nacionais, a indicação no display era errada, e quanto a isso nada foi feito. Logo, ou o usuário trocava o
auto-rádio ou adaptava-se a esta deficiência.

ELETRÔNICA AMPLIFICADORES A, B, C, AB - OSCILADORES - SISTEMAS DE TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO 127


APOSTILA ELETRÔNICA GERAL MÓDULO - 3
EMISSORA DE RÁDIO FM
No rádio AM, vimos que a emissora produzia o sinal gravados e reproduzidos por meios ópticos (CD´s e
AF (áudio frequência), sendo que este iria modular CD ROM) e finalmente, nos dias de hoje, faz-se
uma frequência de portadora, fazendo-a variar em memorização digital, gravando em HD´s ou
amplitude (AM) em determinada faixa de memórias flash. Logo, o computador já é parte
frequências (Ondas Longas, Ondas Tropicais, integrante de todo o processo de gravação e
Ondas Média, Ondas Curtas), sendo estes sinais reprodução de áudio nas emissoras.
transmitidos via antena, através de ondas Como podemos ver, temos dois processamentos de
áudio, para os canais L e R e outro processamento
eletromagnéticas.
de áudio, para o sinal MONO (L+R) proveniente de
Nas emissoras de rádio FM far-se-á a mesma coisa, uma fonte independente que é processamento SCA
tendo como diferença básica que a portadora (Segundo Canal de Áudio).
receberá modulação em frequência (FM). ÊNFASE: Vimos anteriormente, que o sinal de
Existem algumas emissoras de rádio que áudio transmitido pelas emissoras de AM, não
transmitem o mesmo sinal em AM e FM e por isso
podem ter mais que 5kHz, o que representa um
precisam de 2 sistemas diferentes de modulação e
transmissão. Outras emissoras transmitem uma sinal de áudio sem agudos, mas que reproduz
programação diferente em AM e outra programação satisfatoriamente a faixa da voz humana. Com esta
em FM e ainda existem emissoras que só frequência máxima de áudio, a emissora ocupará
transmitem em AM e outras só em FM. um espectro de frequência não poderá ultrapassar
Na figura 17, temos o diagrama em blocos a 10kHz em relação à portadora (5kHz para cima -
simplificado de uma emissora de rádio que BLS e 5kHz para baixo - BLI).
transmite seu sinal em FM. Já para as emissoras em FM, foi reservado uma
Podemos perceber que a diagramação em blocos faixa de 200kHz (100kHz acima - BLS e 100kHz
de uma emissora de FM, difere em muito uma abaixo - LBI) em relação à portadora. Isso será
necessário devido aos sinais em FM, não somente
emissora AM, pois tem mais blocos, onde temos a
possuirem somente uma resposta entre 20Hz e
destacar o bloco formador stereo-SCA, que já foi 18kHz, mas a composição de todo o sinal
analisado anteriormente: estereofônico e SCA.
Assim, como uma reposta de frequência bem maior,
AMPLIFICADOR DE AF: A função deste bloco é de estaremos entrando numa região próxima aos
amplificar o sinal de áudio captado por microfones ruídos, que geralmente tem frequência alta (acima
ou reproduzido por playback (fita, CD, MP3, etc.), de 10kHz ). Como a incidência do ruído é certa,
deixando-o em bom nível de tensão e corrente para devemos antes de transmitir o áudio, enfatir as altas
ser processado sem sofrer distorções. Todo o sinal frequências dele, ou seja, dar maior nível em tensão
que não é gerado ao vivo, é chamado de ao sinal nesta faixa. Um exemplo de circuito de
PLAYBACK, ou seja, tocar ou reproduzir o que já se ênfase pode ser visto na figura 18.
passou, e que de alguma forma foi gravado, Este circuito é um amplificador onde o sinal de áudio
está entrando na base de Q1; no emissor temos um
podendo ser reproduzido posteriormente. Os
capacitor C1 paralelo a R2. Para as baixas
primeiros meios de gravação foram feitos em frequências, C1 será uma chave aberta não
dispositivos mecânicos do tipo disco de vinil, alterando o ganho do transistor, mas para as altas
passando após para fitas ou rolos magnéticos frequências C1 se comporta como um resistor de
(pesquise na internet mais detalhes). Na década de baixo valor, ficando em paralelo à R2, tornando a
80 (século passado), os sinais começaram a ser resistência de emissor mais baixa e com isso
figura 17 EMISSORA DE RÁDIO FM
ANTENA

AMPLIF. MODULADOR AMPLIF.


AF
ENFASE BLOCO FM RF
FM
AF L CODIFICADOR
STEREO-SCA

AMPLIF. ENFASE ENFASE AMPLIF.


AF AF
AF R AF SCA

128 AMPLIFICADORES A, B, C, AB - OSCILADORES - SISTEMAS DE TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO ELETRÔNICA


APOSTILA ELETRÔNICA GERAL MÓDULO - 3
figura 18 cada emissora de FM é de 100kHz para acima e
abaixo de sua portadora (veja a figura 16).

ESTRUTURA DE UMA EMISSORA DE RÁDIO


OUT Podemos ver na figura 20, uma estrutura básica de
IN
Q1

R2 C1

aumentando o ganho do amplificador para as altas


frequências. Como resultado, o sinal que sairá no
coletor de Q1 terá uma ênfase (maior amplitude)
nas altas frequências, como pode ser visto na figura.
figura 20
CODIFICADOR ESTÉREO-SCA: Este bloco tem a
função de multiplexar os sinais L e R do canal um processamento de sinais deste sua captação
principal, bem como o SCA (Segundo Canal de até a transmissão final.
Áudio) de forma a excitar o modulador de FM com Tomando como base uma transmissão ao vivo de
um único sinal, e claro, ficar compatível com os uma partida de futebol, necessitaremos ter os
receptores de FM MONO. Uma emissora de FM microfones que farão a captação do áudio do
monofônica, é muita mais simples que uma locutor, bem como outros que captarão o sinal do
estereofônica (figura 17) e pode ser vista na figura pessoal de campo.
19. Estes sinais entrarão em uma pequena mesa que
MODULADOR DE FM: Este bloco será fará a mixagem destes, sendo que este sinal poderá
figura 19 ser transmitido via terrestre, ou ainda satélite,
utilizando frequências altas, em torno de 1 GHz
EMISSORA DE RÁDIO FM
(como as usadas em WI-FI), até chegar aos
ANTENA estúdios da FM da emissora, que sintonizará este
AMPLIF. ENFASE MODULADOR
FM
AMPLIF. áudio, e introduzindo trilhas sonoras, comerciais,
AF RF
FM etc.
Após todo o trabalho de mixagem, os sinais de
áudio L e R específicos da emissora, serão levados
ao codificador estéreo. também no estúdio, será
AF L+R escolhida a trilha sonora que será enviada no canal
SCA, que também entrará no codificador SCA,
responsável por fazer variar uma frequência sendo que o sinal multiplex receberá o sinal SCA,
constante, proveniente de um oscilador interno ao sendo que estes irão ao modulador de FM
modulador, de acordo com a amplitude do sinal de específico da emissora sofrendo as variações de
áudio ou sinal multiplex que está presente em sua frequência para a transmissão.
entrada. Este circuito é basicamente um modulador Apesar do processo estar finalizado, a portadora
de FM comum, visto na figura 2 ou um modulador ainda não está amplificada em alta potência, mas
digital, visto na figura 4, desta aula. será transmitida em curta distância (1 ou 2 km no
máximo) até o alto de um morro ou prédios, para
AMPLIFICADOR DE RF: Este é o ultimo bloco, que que daí possa ganhar alta potência para ser
irá aumentar a potência do sinal da portadora (RF) definitivamente transmitida para toda a região, onde
para excitar a antena de transmissão, o sinal de RF poderá alcançar um raio de até 100km
transformando as variações de tensão da portadora de distância. Na figura 21, podemos ver o aspecto
em ondas eletromagnéticas que serão levadas via de uma antena transmissora.
ar até os rádios receptores de FM das nossas ATENÇÃO: este tipo de
transmissão chamada de figura 21
residências.
comercial, somente poderá
O sinal de FM, além do desvio que sofre referente ser feita por emissoras que
às variações de tensão do sinal modulante, também possuem o que se chama
terá as bandas laterais sendo transmitido em DSB, C O N C E S S Ã O D O
duas bandas laterais que foram criadas a partir da GOVERNO. São também
modulação, sendo que o espaço reservado para permitidas transmissões de

ELETRÔNICA AMPLIFICADORES A, B, C, AB - OSCILADORES - SISTEMAS DE TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO 129


APOSTILA ELETRÔNICA GERAL MÓDULO - 3
baixa potência, com alcance ce 1 ou 2 km para as
chamadas rádios comunitárias, mas também elas
devem ter autorização para transmissão. Toda
forma de transmissão utilizando faixas comercias
em AM ou FM, sem autorização dos orgãos
competentes, além de poderem causar sérios
prejuízos à segurança aérea e às
telecomunicações em geral, são chamadas de
PIRATA e estão sujeitas às penas da lei.
Apesar disto, existem pequenos transmissores
chamados de VIDEO LINK, que alcançam uma
distância de 5 a 10 metros, e são utilizados para
transmitir um sinal de vídeo e áudio em AM no
padrão de televisão, como mostra a figura 22.
Para os alunos interessados em transmissão de

figura 22

figura 22

FM, há um projeto COMPLETO DE


TRANSMISSOR DE FM DE 80 WATTS, que pode
ser visto no link:
http://ludens.cl/Electron/fmtx/fmtx.html

RECEPTOR DE FM
Passaremos agora á análise de um radio-receptor de AM, um circuito formado por 2 ou 3 transistores como
FM, sendo que este possui muitas semelhanças ao amplificadores sintonizados na Frequência
receptor de AM. Podemos ver o diagrama de blocos do Intermediária de 10,7 MHz (FI), que terão como função
receptor de FM mono na figura 23. dar ganho em tensão e corrente aos sinais de RF, para
poderem ser demodulados.
SINTONIZADOR: Este circuito é idêntico ao circuito
Na etapa de FI dos rádios FM não temos um controle de
sintonizador dos rádios AM, com diferença apenas nas ganho do 1°amplificador, como o circuito de CAG,
frequências das portadoras de FM que serão mais
utilizado para os receptores AM, já que variações na
altas, podendo variar sua portadora de 88 MHz a 108
MHz (emissoras comercias de FM). amplitude do sinal, não relevantes, pois as informações
Outra diferença está no oscilador local, que agora de áudio estão contidas nas variações da frequência da
deverá variar sua frequência sempre 10,7 MHz acima portadora e não na sua amplitude. Mesmo que o sinal
na antena seja forte, o que cause a saturação e corte
da frequência da portadora sintonizada, já que a
dos amplificadores posteriores, não haverá problema,
Frequência Intermediária padrão dos rádios FM será pois as variações de frequência, relativas aos áudio ou
de 10,7 MHz e não 455 kHz como era nos rádios AM. sinal multiplex, continuarão acontecendo, permitindo
Portanto, o BPF da saída do sintonizador, também portanto, a demodulação dos sinais nos final do
deverá ter sua atuação centrada em 10,7 MHZ, amplificador de FI.
tornando-se esta portadora de FI comum a todas as
emissoras. LIMITADOR: Como a amplitude da portadora não tem
AMPLIFICADOR DE FI: Temos aqui, como nos rádios um controle de ganho (CAG) podemos ter portadoras

130 AMPLIFICADORES A, B, C, AB - OSCILADORES - SISTEMAS DE TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO ELETRÔNICA


APOSTILA ELETRÔNICA GERAL MÓDULO - 3
RF AF

ANTENA
BPF DEMODULADOR DE
AMPLIF. BPF MIX FI FI LIMITADOR PRÉ POTÊNCIA
RF 10,7MHz DE FM ENFASE

VOLUME
FM OSCILADOR
LOCAL
SINTONIZADOR
AFC

SINTONIA
figura 23 RECEPTOR DE RÁDIO FM (mono)

com grandes amplitudes, podendo gerar distorções no isso deixar o sinal de áudio equalizado da mesma
circuito demodulador e com, isso temos um circuito que forma original. Para isso, geralmente usamos um
irá limitar a máxima amplitude da portadora antes de amplificador que atenua o ganho nas altas frequências,
ser demodulada; isto não irá alterar o sinal de áudio que fazendo o oposto do amplificador de ênfase da
não depende da amplitude da portadora e sim de sua emissora.
frequência.
AMPLIFICADOR: Este circuito é subdividido em dois:
AFC: O circuito de AFC (Automatic Frequency Control)
pré-amplificador e amplificação de potência.
também é conhecido como CAF Controle Automático
O pré-amplificador possui controle de volume, e
de Frequência, sua função é manter a frequência
geralmente é formado a partir de um transistor
sintonizada exatamente igual a frequência central da configurado em classe A, tendo um potenciômetro de
emissora, pois agora qualquer erro na frequência volume; o segundo circuito é a saída de potência que
sintonizada poderá alterar o sinal de áudio demodulado geralmente é formada por um estágio DRIVE e uma
que depende diretamente dos valores das frequência saída em classe AB que dará ganho suficiente para
da portadora. excitar o alto-falante, gerando o som mecânico do sinal
Como a amplitude do sinal da portadora depende de de áudio, permitndo a excitação do ouvido humano,
circuitos sintonizados (BPF e amplificadores), caso a fechando assim, o ciclo da transmissão e recepção, da
frequência sintonizada não seja exatamente a mesma mesma forma que foi visto nos rádios receptores de AM.
da portadora da emissora teremos um sinal com
amplitude menor quanto mais distante está a
O RÁDIO RECEPTOR ESTEREOFÔNICO
frequência sintonizada, caso a frequência sintonizada
seja exatamente a frequência da portadora teremos a A grande diferença entre um receptor de FM mono e o
máxima amplitude para o sinal de FI. Logo, após o sinal stereo, está encontra-se após o demoulador do sinal de
de áudio ou multiplex ser demodulado, este áudio terá FM. Podemos que que o sinal multiplex, entrará no
uma tensão dc, que dependerá da sintonia da bloco do DECODIFICADOR STEREO, sendo que
portadora de FI, sendo esta tensão realimentada ao passará por um processo de filtro e demodulação do
sintonizador; se a tensão de AFC cair ou subir, sinal L-R, até que consiga recuperar os sinais L e R,
indicando que a emissora está fora de sintonia, que acabam indo aos pré-amplificadores e
obrigará o sintonizador a corrigir sua frequência amplificadores de potência. Veremos detalhes nas
(oscilador local) para que acerte a frequência aulas à frente.
sintonizada. AF L

DEMODULADOR DE FM: A função deste circuito,


como no rádio AM, será recuperar o sinal de áudio DEMODU-
eliminando as variações de alta frequência da LADOR PRÉ POTÊNCIA
DE FM
portadora de FI. Existem vários tipos de DECODI-
demoduladores, sendo que mais adiante veremos FICADOR VOLUME
alguns exemplos de demoduladores analógicos. STEREO
Atualmente os demoduladores mais usados são os
digitais, implementados à partir de portas lógicas, que PRÉ POTÊNCIA

serão estudadas detalhadamente no módulo 4 e 5. A AF R


função básica do demodulador é recuperar o sinal de figura 24 VOLUME
áudio ou ainda o sinal multiplex, transformado as
variações de frequência em amplitude.
ANTENA RECEPTORA DE FM
DE-ÊNFASE: Este circuito tem a função de retirar o Existem basicamente 2 tipos de antenas para ondas de
ganho nas altas frequências, ganho este criado nos rádio FM: antena externa e a antena interna que vem
circuitos de PRÉ-ÊNFASE dos transmissores, e com presa no rádio receptor

ELETRÔNICA AMPLIFICADORES A, B, C, AB - OSCILADORES - SISTEMAS DE TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO 131


APOSTILA ELETRÔNICA GERAL MÓDULO - 3
ANTENA INTERNA: A antena que vem presa no rádio, um circuito demodulador como exemplo.
geralmente é do tipo telescópica, igual a do rádio AM Este circuito é um Detetor de Inclinação Balanceado, e
(OC), que geralmente é uma haste metálica que pode é um dos métodos mais simples de recuperação do
ser movimentada em várias direções e que sinal de áudio, à partir de uma portadora modulada em
normalmente é retrátil, permitindo auto-proteção FM. A função básica dos demoduladores de FM é
quando não estiver sendo usada. Sua impedância é de converter as variações de frequência em variações de
75W, o que facilita o casamento com a entrada do amplitude.
circuito sintonizador, que também é de 75W. D1
T1 SAÍDA
DE
ANTENA EXTERNA: Temos vários tipos de antenas FI
C5 L3
L1 C1 R1 C3 AUDIO

receptoras fora do aparelho, sendo a mais básica é um


pedaço de fio, tipo fita, com extremidades separadas, L2 C2 R2 C4
podendo ser pendurado atrás do aparelho ou na parede figura 26
próxima. Através da abertura das extremidades forma D2
um dipolo (dois pólos) receptor magnético, que captará
Podemos observar que o circuito da figura 26 é um
o sinal de FM com uma impedância de 300W. Outro tipo
detetor de AM duplo, pois uma das funções deste
usado, são as antenas externas de FM ou VHS (para circuito é detectar as variações de amplitude
TV) que são instaladas no telhado da residência, (envoltória) do sinal. Mas, como isso seria possível se o
algumas dessas antenas já tem saída para cabos de sinal de FM não tem variações de amplitude? Se
conexão de 75W, mas outras, somente conexão para
dividirmos este circuito em 2 partes, teremos 2
cabos de 300W, e neste caso, devemos instalar na detetores de envoltória acoplados por um
entrada do rádio FM um circuito casador de impedância transformador (T1) sintonizado pelos valores de C5 e
de 300W para 75W. Esses “circuitos” são na realidade L3 no primário e L2 e C2 num circuito e L1 t C1 no outro
pequenos transformadores acoplados por capacitores circuito.
e em muitos aparelhos eles já estão incorporados. Vamos pegar só o primeiro circuito e verificar seu
figura 25 funcionamento, como mostra a figura 27.
SAÍDA
300W figura 27
75W D1
T1
C5 L3
BALUN L1 C1 R1 C3
FI
Região
de
atuação

75W
O conjunto sintonizado por L1 e C1 tem uma frequência
Estes transformadores casadores de impedância são
acima de 10,7 MHz (em torno de 10,8 MHz) com isso
chamados de BALUN, do inglês “ BALanced -
teremos a amplitude do sinal induzido em L1
UNbalanced”, que significa balanceado para
aumentando, quanto mais próximo da frequência do
desbalanceado. Isto é assim, porque a entrada de
filtro (10,8MHz) ela chegar. Então teremos em L1 um
300W é balanceada, onde cada fio (dois no total) traz
sinal variando em amplitude proporcionalmente a sua
um sinal em fase e outro em contra-fase, sem
frequência, como mostra o gráfico de saída do sinal
referência ao “terra”.
mostrado na direita da figura.
Já os cabos de 75W, geralmente são blindados com
O segundo circuito debaixo tem um funcionamento
apenas um fio com o sinal, sendo o outro terminal a
oposto ao da figura 24, pois o o conjunto sintonizado
própria malha de aterramento, onde o sinal será
formado por L2 e C2 tem uma frequência abaixo de
transmitido desbalanceado. Na figura 25 temos o
circuito de um “balun”. 10,7 MHz (10,6 MHz) então esta parte do circuito
Nesta figura o “balun” já é incorporado ao aparelho detectará a queda de amplitude devido a menor
receptor de rádio, onde temos duas entradas: uma de frequência do sinal, que serão integradas em C3 e C4,
75W, que está ligada diretamente à saída do balun, e gerando um sinal de áudio com amplitude variando de
acordo com as variações de frequência em torno de
outra de 300W que passará por um transformador
casador de impedância antes de sair para o circuito 10,7 MHz, que é a frequência central de FI (portadora).
sintonizador do rádio.
figura 28
DEMODULADOR DE FM T1
C5 L3
L2 C2 R2 C4
Existem vários tipos de demoduladores de FM, desde FI
os mais simples até os digitais, estes últimos mais Região
de
atuação
utilizados nos aparelhos modernos, na figura 26 temos D2

132 AMPLIFICADORES A, B, C, AB - OSCILADORES - SISTEMAS DE TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO ELETRÔNICA