You are on page 1of 15

http://www.explicatorium.com/ciencias-naturais.

html

1. - TERRA SOB INVESTIGAÇÃO

Fig. 1 - A Terra é o único planeta com vida conhecido pelo homem

1.2. - Terra, um planeta com vida

A Terra é um sistema formado por vários subsistemas abertos, que se encontram em


constante interação.

A atmosfera, a hidrosfera, a litosfera e a biosfera são subsistemas terrestres:

Atmosfera – constitui a camada gasosa da Terra sendo, essencialmente, composta por


azoto (78%) e oxigénio (21%), seguindo-se o árgon (0.9%) e o dióxido de carbono
(0.03%), para além de outros gases menos significativos.

Hidrosfera – somatório de toda a água existente na superfície terrestre. Os oceanos, os


rios, os lagos, os glaciares e as águas subterrâneas fazem parte da hidrosfera.

Litosfera – a camada rígida que constitui a crosta terrestre, englobando as grandes


massas continentais e as bases dos oceanos, bem como os restantes materiais que se
encontram no interior da Terra. É na litosfera que a maior parte dos seres vivos encontra
o suporte para andar e habitar.

Biosfera – formada pelo conjunto dos seres vivos que habitam a Terra. Existe uma
interação constante entre os seres vivos e os diferentes subsistemas terrestres.

Qualquer alteração provocada pelo Homem num destes subsistemas irá ter
consequências graves no sistema Terra e alterar o ambiente em que a espécie humana
habita e do qual depende a sua sobrevivência.

Dentro da biosfera estão incluídos diversos subsistemas biológicos, integrados e


interdependentes: ecossistema, comunidade, população, organismo, sistema de órgãos,
órgão, tecido, célula.
Porque existe vida na Terra?
A existência de vida na Terra é favorecida pela distância da Terra ao Sol, que permite
a existência de uma temperatura adequada e de água no estado líquido.

Outro fator determinante para a vida é a existência de uma atmosfera, o que só é


possível graças à massa da Terra.

Etapas para o aparecimento da vida na Terra:


 Os vulcões da Terra libertaram gases (água, metano, dióxido de carbono, etc.) que
formaram a atmosfera primitiva;

 A superfície da Terra arrefeceu, formando-se a crosta terrestre;

 Das nuvens formadas resultou chuva;

 A chuva levou à formação dos meios aquáticos (rios, lagos, mares, oceanos…);

 Através de reações químicas complexas, surge a primeira matéria orgânica na água;

 Mais tarde surgiram as primeiras células (bactérias);

 As bactérias fotossintéticas (que realizam a fotossíntese) produzem oxigénio;

 O oxigénio libertado para a atmosfera formou a camada de ozono;

 A vida pode ocupar o meio terrestre, pois o ozono protege das radiações ultravioleta
(UV).

Condições que permitem a existência de vida na Terra:


 Crosta terrestre sólida;

 Água nos 3 estados físicos (líquido, sólido, gasoso);

 Luz e calor (provenientes do Sol);

 Oxigénio e camada de ozono.


TERRA - UM PLANETA COM VIDA

Fig. 1 - A Terra é o único planeta com vida conhecido pelo homem

1.1. - Da célula à biodiversidade

A reunião de diferentes condições permitiu o desenvolvimento de vida na Terra:

 A presença de luz - é essencial a todos os seres vivos, direta ou indiretamente.

 Água no estado líquido - permite a atividade celular e a circulação de substâncias


nos seres vivos.

 Atmosfera - protege das radiações nocivas e parcialmente do impacto de meteoritos;


contém os gases essenciais à respiração e à fotossíntese e contibui para a manutenção da
temperatura amena.

 Temperatura amena - possibilita a existência de água no estado líquido e é


compatível com a vida.

A evolução da composição da atmosfera (formação da camada de ozono e efeito de


estufa) permitiu, ao longo do tempo, a evolução para formas de vida mais complexas e
diversas.

A Terra é um sistema que faz parte de um outro maior - o Sistema Solar.

A Terra é um sistema formado por vários subsistemas abertos, que se encontram em


constante interação.

A atmosfera, a hidrosfera, a geosfera e a biosfera são subsistemas terrestres:

Atmosfera – constitui a camada gasosa da Terra sendo, essencialmente, composta por


azoto (78%) e oxigénio (21%), seguindo-se o árgon (0.9%) e o dióxido de carbono
(0.03%), para além de outros gases menos significativos.
Hidrosfera – somatório de toda a água existente na superfície terrestre. Os oceanos, os
rios, os lagos, os glaciares e as águas subterrâneas fazem parte da hidrosfera.

Geosfera – a camada rígida que constitui a crosta terrestre, englobando as grandes


massas continentais e as bases dos oceanos, bem como os restantes materiais que se
encontram no interior da Terra. Biosfera – formada pelo conjunto dos seres vivos que
habitam a Terra e os seus ambientes.

Qualquer alteração provocada pelo Homem num destes subsistemas irá ter
consequências graves no sistema Terra e alterar o ambiente em que a espécie humana
habita e do qual depende a sua sobrevivência.

A existência de vida na Terra é favorecida pela distância da Terra ao Sol, que permite a
existência de uma temperatura adequada e de água no estado líquido.

Outro fator determinante para a vida é a existência de uma atmosfera, o que só é


possível graças à massa da Terra.

A figura apresentada em baixo, explica de forma mais detalhada o efeito de estufa:

Fig. 2 - Explicação do mecanismo que provoca o efeito de estufa

A importância do efeito de estufa


O efeito de estufa assume uma importância extraordinária para a vida na Terra. Na
verdade, se o calor libertado pela superfície terrestre não encontrasse qualquer obstáculo
à sua propagação, o mesmo escapar-se-ia para as altas camadas da atmosfera ou mesmo
para o espaço extra-atmosférico, o que teria como consequência um arrefecimento de tal
modo intenso (sobretudo durante a noite) que tornaria o nosso planeta inabitável. Esta é,
portanto, a face positiva do efeito de estufa.

Mas, o aumento da quantidade de gases e outras substancias poluentes (com destaque


para o dióxido de carbono) lançados para a atmosfera pelas diversas actividades
humanas, sobretudo através da queima de combustíveis fósseis (carvão, petróleo, gás
natural) na indústria e nos veículos motorizados, e também pelos grandes incêndios
florestais, tem vindo a acentuar o efeito de estufa com o consequente e indesejável
aumento da temperatura na troposfera.

Estudos existentes apontam para subidas da temperatura global entre 1 °C e 4 °C dentro


de trinta a cinquenta anos. Valor aparentemente pequeno, mas que, na realidade,
constitui uma variação brutal è sem precedentes na história da Terra.

Claro que do aumento da temperatura resultarão modificações mais ou menos profundas


no regime das precipitações e no ciclo natural da água, bem como a fusão dos gelos das
grandes calotes polares, o que provocará profundas alterações na fauna e na flora e a
elevação do nível dos oceanos. Submergindo vastas zonas costeiras, o elevação do nível
do mar provocará a emigração de dezenas de milhões de pessoas, a redução das áreas de
cultivo e a salinização das fontes de água doce.

Quais os gases responsáveis pelo efeito de estufa?

Existem vários gases que atuam como responsáveis pelo efeito de estufa:

Dióxido de Carbono(CO2)

Originado pela combustão de combustíveis fósseis: petróleo, gás natural, carvão,


desflorestação (libertam CO2 quando queimadas ou cortadas). O dióxido de carbono é
responsável por cerca de 64% do efeito estufa. Diariamente são enviados cerca de 6 mil
milhões de toneladas de CO2 para a atmosfera.

Metano (CH4)

Este gás é produzido em campos de arroz, pelo gado e pelas lixeiras. É responsável por
cerca de 19 % do efeito de estufa.

Clorofluorcarboneto (CFC)

Quando começou a ser utilizado, o freon, o mais conhecido CFC, parecia a solução
perfeita para os problemas da refrigeração, por não se dividir e não causar danos ao
seres vivos, muito melhor que o produto anteriormente utilizado, a amónia. Porém,
recentemente verificou-se que os CFC sofrem fotólise quando submetidos a radiação
ultravioleta, dividindo-se na altura da camada de ozono onde a presença desses raios são
constantes. Foram muito utilizados em sprays, frigoríficos, motores de aviões, plásticos
e solventes utilizados na indústria electrónica. Este composto é responsável por cerca de
10% do efeito de estufa. O tempo de duração do composto é de 50 a 1700 anos. Como
alternativa e estes compostos (CFC`s), existem hoje vários projectos para diminuir a
utilização dos CFC, mas eles têm sido dificultados pelo seu uso principalmente na
refrigeração. Uma das alternativas tem sido os hidroclorofluorocarbonetos (HCFC),
haloalcanos em que nem todos os hidrogénios foram substituídos por cloro ou flúor. O
seu impacto ambiental tem sido avaliado como sendo de apenas 10% do dos CFC. Outra
alternativa são os hidrofluorcarbonetos (HFC) que não contêm cloro e são ainda menos
prejudiciais à camada de ozono, porém apresentam alto potencial de aquecimento
global, ou seja, eles contribuem para o efeito de estufa.

Ácido nítrico (HNO3)

É produzido pela combustão da madeira e de combustíveis fósseis, pela decomposição


de fertilizantes químicos e por micróbios. É responsável por cerca de 6% do efeito
estufa.

Ozono (O3)

É originado através da poluição dos solos provocada pelas fábricas, refinarias de


petróleo e também por veículos automóveis.

que representa a camada de Ozono?

Fig. 1 - A camada de Ozono


protege o nosso planeta

A camada de Ozono localiza-se a cerca de 10 a 50 Km por cima das nossas cabeças.


Quimicamente é formada por 3 átomos de oxigénio ligados entre si (Fórmula molecular:
O3).

O oxigénio é uma molécula constituída por 2 átomos de oxigénio (O2), os raios


ultravioletas provenientes do Sol dissociam a molécula e os átomos de oxigénio
separam-se ficando livres (O), para se ligarem ao oxigénio molecular (O2), o que origina
o Ozono, de acordo com a figura abaixo apresentada:
O Ozono é a camada que nos protege dos raios ultravioletas vindos do Sol, pois serve de
filtro à radiação solar ultra violeta (UV), desempenhando uma função essencial para a
vida na Terra. Estas radiações podem provocar cancro de pele e também podem
danificar o sistema imunológico humano, tornando as pessoas mais vulneráveis a
doenças infecciosas. Calcula-se que uma diminuição de 1% na espessura da camada
provocaria um aumento de 3 a 6% no aparecimento do cancro da pele.

Qualquer alteração na camada de Ozono pode modificar drasticamente o clima.

Os causadores da diminuição da camada, já todos sabemos que tem a ver com a


poluição, e desta o uso dos CFC, é o principal responsável. Os CFC, denominados
clorofluorcarbonetos, são compostos químicos que se encontram nos gases utilizados
para a refrigeração, como nas grelhas refrigeradoras dos frigoríficos e aparelhos de ar
condicionado, estando também presentes em alguns aerossóis (vulgarmente designados
por sprays).

Estes CFC, têm cloro na sua composição e quando atinguem a camada de Ozono o cloro
através dos raios ultravioletas dissociam as moléculas de Ozono, voltando estes átomos
a formar novas moléculas de O2 e não de O3, destruindo assim a camada.

O que é um sistema?

Entende-se por sistema, qualquer parte do universo constituida por massa e energia e
que se considere separadamente como finalidade observar e investigar.

Classificação de sistemas:

Sistema Isolado: não existe trocas de energia e de massa com o seu meio
envolvente.(São muito raros na Natureza mas, podem ser obtidos em laboratório)
Sistema Fechado:Existe trocas de energia mas não de massa.(existem em menor
numero)

Sistema Aberto:Existe trocas de energia e de massa com o seu meio envolvente.(é o tipo
de sistema mais frequente na Natureza)

Subsistemas terrestres

O megassistema Terra(sistema fechado) é constituido por quatro subsistemas abertos,


que interagem entre si de uma forma dinâmica e complexa, esses subsistemas são:

Geosfera

A geosfera é a parte superficial da Terra que se encontra no estado sólido(grandes


massas continentais e os fundos oceanicos).

Hidrosfera

Por hidrosfera entende-se toda a água no estado líquido e sólido que se encontra na
superficie terrestre, isto inclui oceanos, mares, lagos, rios, água existente no subsolo,
gelos das calotes polares e dos glaciares.

Atmosfera

A atmosfera éo invólucro gasoso da Terra constituido por uma mistura de gases, dos
quais o azoto, o oxigénio, o árgon e o dioxido de carbono representam 99,98 % do seu
volume. O vapor de água também é um constutuinte da atmosfera.

Biosfera
A biosfera é constituida por todos os seres vivos, que ocupam habitats tão diversos,
como o solo, o ar e a água.

Interação de subsistemas

Os subsistemas da Terra são sistemas abertos assim havendo uma complexa relação
entre eles que garante o equilibrio na Terra.

Relação Geosfera <----> Atmosfera

Por vezes, as erupções vulcanicas são demasiado violentas e ocorre a libertação de


grande quantidade de gases e poeiras para a atmosfera. Esta substâncias podem
influenciar a quantidade de radiação solar que atinge o planeta e, assim alterar os
mecanismos de evaporação e evapotranspiração com a consequente alteração dos
regimes das chuvas. Que por sua vez, pode provocar alterações nos mecanismos de
meteorização e erosão das rochas.

Relação Geosfera <------> Hidrosfera

Este dois subsistemas estão intimamente relacionadas através do ciclo hidrológico.

As águas dos grandes reservatórios naturais estão em permanente contacto com as


rochas da geosfera.

O papel da água aqui é na alteração fisica e quimica dos minerais e das rochas.

Geosfera <-----> Biosfera

Do metabolismo de muitos seres vivos pode resultar a formação de rochas sedimentares


de origem biogénica, como os calcários conquifero e o carvão.

Os animais e as plantas são, também, importantes agentes de meteorização fisíca e


química das rochas, contribuindo, desta forma, para a formação de rochas sedimentares
detritícas
Biosfera <-------> Hidrosfera

A água é o principal constituinte dos seres vivos e permite a realização de diversas


funções fisiológicas

Atmosfera <-------> Biosfera

A quantidade de oxigénio e dioxido de carbono presente na atmosfera pode variar em


função de processos metabólicos realizados pelas plantas e animais, como a
fotossintesem e a respiração.

A presença de ozono nas camadas superiores da atmosfera protege os seres vivos dos
raios ultra violetas, potenciais causadores de mutações genéticas nas células.

Geosfera <--->Atmosfera<--->Hidrosfera<--->Biosfera

Os ciclos bioquímicos da água, do carbono e do azoto é um dos vários exemplos da


interacção entre todos os subsistemas terrestres.

Ler mais: https://nelo209epic.webnode.pt/products/refer%C3%AAncia%20%232/

Em que medida a modificação num dado subsistema pode afetar os


restantes?
Dado que há trocas efetivas de matéria e energia, a alteração de um subsistema poderá
transmitir-se aos demais, modificando-os irremediavelmente.