You are on page 1of 3

Pós-Graduação APAE Caxambu

Inspeção, Supervisão e Orientação

A VISÃO DO CURRÍCULO HOJE

Dóra Eliza de Souza Dias Gouvêa

Caxambu-MG
2010
A Visão do Currículo Hoje

O currículo há muito tempo deixou de ser apenas uma área meramente


técnica, voltada para questões relativas a procedimentos, técnicas, métodos. Já se
pode falar agora em uma tradição crítica do currículo, guiado por questões
sociológicas, políticas e epistemológicas. Dessa forma, as competências e o
conhecimento necessários para entender o mundo e os problemas reais capacitam o
aluno para a vida social e, consequentemente, para chegar a uma cultura mais
elaborada. O currículo, nessa perspectiva, passa a ser considerado artefado social e
cultural, deixando de se preocupar, apenas, com a organização do conhecimento a
ser transmitido aos alunos. Desde modo, o currículo é compreensível como uma
ferramenta imprescindível para se compreender os interesses que atuam e estão em
permanente jogo na escola e na sociedade. Assim, para além do que está prescrito
nas "grades curriculares" e nas listas de conteúdos pré-elaboradas, o conceito de
currículo pode ser exposto como um conjunto de ações que cooperam para a
formação humana em suas múltiplas dimensões constitutivas.
A partir dessa compreensão, pode-se dizer que o currículo imprime uma
identidade à escola e aos que dela participam. Permite, ainda, perceber que o
conhecimento trabalhado no ambiente escolar extrapola os limites de seus muros,
uma vez que impulsiona o movimento dialético de (re)criação de um "conhecimento
escolar" para a sociedade, mediante a ação dos que compartilham a vida escolar,
apropriando-se dos conhecimentos sociais. Assim, quando falamos de currículo,
estamos nos referindo ao complexo processo sociocultural que fez da escola um dos
mais importantes meios de compreensão e (re)produção dos conhecimentos
produzidos pela humanidade.
Discutir o currículo é, portanto, debater uma perspectiva de mundo, de
sociedade e de ser humano, pois o currículo escolar traduz marcas impressas de
uma cultura nem sempre visíveis, mas que estão latentes nas relações sociais de
uma época.
O currículo escolar põe em foco, justamente, amplas questões, entre elas:
O que e como se aprende na escola? A quem interessa e a serviço de quem está o
que é aprendido? Como podemos fazer para democratizar o que é discutido nas
escolas de forma a não excluir os conhecimentos dos diferentes segmentos sociais,
sem anular identidades ou segregar saberes? Como romper com a "clausura" que a
escola vive em relação à dinâmica social de nossos dias?
Mais modernamente têm-se as novas teorias de currículo escolar que se
nos apresentam como um recurso, não de resistência, mas de acréscimo àquelas já
existentes e que buscam dar conta de um universo educacional mais extenso, mais
amplo. O currículo escolar atual não é, portanto, o mesmo proposto pela tradição
escolar e conservado de igual maneira por todas as escolas. Pode-se mesmo dizer
que, na era da tecnologia, o currículo escolar se forma a partir das necessidades de
cada escola e de cada aluno.
Neste sentido, o currículo escolar passa a ser definido como sendo todas as
situações vividas pelo aluno dentro e fora da escola, seu cotidiano, suas relações
sociais, as experiências de vida acumuladas por esse aluno ao longo de sua
existência, as quais contribuem para a formação de uma perspectiva construcionista
educacional. É importante dizer que, para a formação do currículo escolar individual
de cada aluno, a organização da vida particular de cada um constitui-se no principal
instrumento de trabalho para que o professor possa explorar no desenvolvimento de
suas atividades. Logo, o que se quer dizer é que a escola deve buscar na
experiência cotidiana do aluno elementos que subsidiem a sua ação pedagógica e,
ao mesmo tempo, recursos que contribuam para a formação do currículo escolar dos
educandos.
A escola não pode esquecer que quando os alunos chegam, eles já
possuem uma história de vida, recebem freqüentemente influências fora da escola,
apresentam um comportamento individual, social e uma vivência sociocultural
específicos ao ambiente de origem de cada um deles. Todas essas características
individuais dos alunos integram elementos básicos que auxiliam na formação do
currículo escolar.