You are on page 1of 28

Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e ditora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jorn Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e ditora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jor Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica ditora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jor Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica ditora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jor Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica

Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jornal

Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e ditora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jorn Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e ditora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jorn Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e ditora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jorn Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e Editora Jornal do Commercio Gráfica e

INDICE

• Equipamentos / Configurações

3

• Observações

3

• Ajustes básicos do PhotoShop

4

• PPD

-

PDF

-

Acrobat

5

• Impressoras - Linguagens - Drives

7

• Fontes

8

• Arquivo Aberto x Arquivo Fechado

9

• Softwares no DTP • Fechamento do Arquivo

9

CorelDraw9.0

 

10

PageMaker6.5

13

QuarkXpress 4.0

16

InDesign 1.0

18

QuarKXpress3.32

 

20

• Ganho de Ponto

22

• Glossário

25

• Mapa de Entrada de Máquina

28

DESCRIÇÃO, PROCESSOS, NORMAS E PROCEDIMENTOS ASSOCIADOS • JORNAL DO COMMERCIO • OBRAS GRÁFICAS Impressora: Off-set Goss
DESCRIÇÃO, PROCESSOS, NORMAS
E PROCEDIMENTOS
ASSOCIADOS • JORNAL DO COMMERCIO • OBRAS GRÁFICAS
Impressora:
Off-set
Goss Community
OBSERVAÇÕES
2 Torres • 4 unidades
ANJ Formatos:
Standard : 29,7 X 53,0 cm
Tablóide : 25,5 X 29,7 cm
Revista :
22,0 X 29,0 cm
• O monitor do computador não deve ser usado
como referencia para a escolha e aprovação de cor. Não
utilizar cores das escalas PANTONE, RGB, etc. Use a
nossa Escala de Cor impressa, fornecida pelo Jornal do
Commercio, para verificar a composição das cores no
processo CMYK.
Equipamentos / Configuração / Pre Impressão:
• 5 estações PC Pentium III 550 Mhz / 128 ram /
HD 9 GB, Windows 98 para produção, processamento
e saída dos trabalhos.
• 2 estações PC Pentium II 350 Mhz e
• 1 estação G3 iMAC 350 Mhz para tratamento
de imagem dos jornais do Grupo.
• Os fotolitos devem ser em NEGATIVO, ilegíveis
na camada, limpos e sem emendas, com densidade a partir
de 3.80 nas áreas chapadas (preto sólido) e no máximo
00.5 nas áreas de transparencias. Lineatura de 100 lpi /
200 dpi de resolução, (ponto redondo ou elíptico), com
identificação de cor e marcas de registro.
• 2 Servidores PC Windows NT Server Pentium
III
550 Mhz / 128 ram / 3 HDs 15 GB / Administrando
Rede local e Sistema Apogee / Sherpa Agfa. (protocolo
TCP/IP, com tráfego de arquivos a 100 Mbps).
• 2 Servidores PC Windows NT Server Pentium
• Todos os originais cor devem ser escaneados em
RGB. Conversão para PxB ou CMYK deve ser feita em
programa de tratamento de imagem (Photoshop).
III
550 Mhz / rodando RIP Harlequim ScriptWorks e
Xitron PostScript level 3.
• 2 Imagesetters Heidelberg Ultre/Quick 5400
• 1 Plotter AgfajetSherpa2, para provas de
imposição
• Se o trabalho for PxB todos os seus elementos
(fotos, logos, textos, fios, etc.) devem estar em grayscale.
Mídias utilizadas para recebimento de material digital:
• As imagens devem ser salvas em EPS binary (para
serem importadas no QuarkXPress 4.0 / PageMaker 6.5)
ou TIFF (quando importar para o COREL DRAW 9.0)
O tamanho final da imagem, assim como o corte ou efeitos
de rotação necessários, devem ser feitos no Photoshop.
CD Rom • 650 MB
Zip Disk • 100 MB
Floppy disk (não recommendado)
FTP
}
sob consulta
E-mail
• Não use o recurso de copy/paste para inserir logos/
imagens, utilize sempre o comando importar para o
programa de finalização, e não renomeie os arquivos após
terem sido importados, isto quebra o vínculo (link) entre
o programa e o arquivo imprimindo em baixa resolução.
Atualize os links antes de gerar o arquivo final.

3

DESCRIÇÃO, PROCESSOS, NORMAS E PROCEDIMENTOS ASSOCIADOS • JORNAL DO COMMERCIO • OBRAS GRÁFICAS Impressora: Off-set Goss

• Jornal do Commercio 173 Anos •

• Utilizar textos vazados a partir de 60% de composição do fundo (background) e corpo da fonte não inferior a 10 pontos.

Ajustes Básicos do Photoshop para a geração e tratamento das imagens: Ink Colors: Swop / Newsprint
Ajustes Básicos do Photoshop para a geração e
tratamento das imagens:
Ink Colors:
Swop / Newsprint
Dot gain:
35%
Imagens preto e branco:
Separation setup:
GCR
Black generation:
maximum
Total ink limit:
260
Black ink limit:
100%
Curves:
mínima: 5%
máxima: 85%
Modo:
Grayscale
Imagens cor:
Separation setup:
GCR
Black generation:
Medium
Total ink limit:
270%
Black ink:
95%
Modo:
CMYK
Curves:
•Provas geradas em impressoras com linguagem
Mínima:
cyan:
2%
servirão apenas como
magenta: 1%
yellow:
1%
black:
0%
Máxima:
cyan:
75%
magenta: 70%
yellow:
65%
black:
60%
Lineatura: (screen rulling) 100 lpi
Dot Shape : Elliptico ou redondo
Resolução:
200 dpi
Aplicativos:
Manipulação e Tratamento de Imagens:
Adobe Photoshop 5.5
Programa de ilustração (vetorial) :
CorelDraw 9.0
Paginação e Montagem (finalização) :
Adobe PageMaker 6.5
QuarkXPress 4.0
Adobe InDesign 1.5

• Tamanho mínimo para letras impressas em cor com sobreposição de duas ou mais cores e letras vazadas é de 12 pontos, sem serifas e em negrito.

• Pequenos desvios no registro, de até 0,38 mm, são inevitáveis na impressão do jornal, está implícito no processo, e não podem ser consideradas como falhas de impressão. Observando-se estes procedimentos, consegue-se controlar e minimizar esta condição.

• Provas são obrigatórias, necessárias para a conferencia da integridade dos arquivos durante o processo, e devem estar atualizadas caso os respectivos arquivos tenham sido modificados.

PCL (não PostScript), como Jato de tinta, e algumas La-

ser (HP, Canon, Epson, etc.)

referencia para a integridade dos arquivos, não servindo

como referencia de cor (qualidade).

• Quanto ao envio de seu material pelo sistema aberto, junto com o documento do aplicativo que gerou o trabalho (Quark, PageMaker), envie também fontes e todas as imagens e gráficos que compõem o documento.

• Crie seu documento no formato da página do material a ser impresso, os formatos para elaboração de Tablóides e Jornais são respectivamente 25,5x29,7 e 29,7 x 53,0, nunca ultrapasse essas medidas.

• Para textos em preto que recaiam sobre aplicações de cor e imagens, procure sempre habilitar a opção de OVERPRINT, que faz com que a cor de 1º plano (preto) “flutue” sobre as demais, evitando que as cores de 2º plano vazem nas áreas que recebem o texto em preto, eleminando assim o sério problema de registro, que prejudica e muito o resultado final do trabalho.

4

• Jornal do Commercio 173 Anos •

PPD - PostScrip Printer Description:

Para o envio de um arquivo “fechado”, PS ou PRN, é preciso instalar e configurar na sua máquina o driver de impressão , compatível com a Imagesetter (impressora adptada para geração de matrizes de impressão) O JORNAL DO COMMERCIO, utiliza em seus equipamentos o drive genérico de impressão LINOTRONIC 530 - Instalado pelo sistema operacional Win 9.X, juntamente com seu PPD que acompanha o cd de instalação do PageMaker. Recomendamos para uma melhor compatibilidade com nossas imagesetter’s, a utilização do PPD ULTRE5400, fornecido pela empresa, que necessita para instalação o Adobe PS - software para instalação de impressoras PostScript que acompanha alguns softwares da Adobe (InDesign, Acrobat, ATM), dessa forma conseguindo uma segurança e estabilidade de lineaturas, angulações e formatos personalizados.

Acrobat 4.0 Software fundamental para qualquer stúdio que utiliza serviços de Birô de Fotolito, pois dele
Acrobat 4.0
Software fundamental para qualquer stúdio que
utiliza serviços de Birô de Fotolito, pois dele depende a
revisão de todo o trabalho, após a geração dos arquivos
PostScript.Certifique-se com sua gráfica se esta aceita
arquivos PDF.
O JORNAL DO COMMERCIO em suas Imagesetter’s
com software de RIP com PostScript nível 3 e aceita
normalmente trabalhos em regime fechado nos formatos
.PS e .PDF (entre em contato, para receber uma melhor
orientação)
CONFIGURAÇÃO DO
ACROBAT DISTILLER
( PARA ARTES GRÁFICAS)
1
1

5

PDF - Portable Document Format

O PDF vem a cada dia crescendo e tomando espaço na área de DTP, espaço este até então destinado somente ao código PostScript, que no inicio só podiam ser visualizados pelos RIP’s (Raster Imaging Processor) das Imagesetter’s, algum tempo depois vieram os primeiros interpretadores de linguagem PostScript - GSview. Hoje em sua terceira versão - PostScript nivel 3 se encontra ameaçada por uma linguagem com alto nível de compactação, multiplataforma e de fácil visualização em busca de erros no momento da impressão. Atualmente todos os aplicativos direcionados ao setor de DTP, salvam , exportam , abrem e importam arquivos PDF, aconselhamos o uso de aplicativos da Adobe devido a uma maior compatibilidade com a liguagem. O procedimento mais adquado para ser obter um PDF para Artes Gráficas, é através de um arquivo PostScript e o software que cria e visualiza este formato e o Acrobat - Programa que gerencia a linguagem dividido em duas partes:

• Acrobat Distiller - É o que realmente transforma arquivos .PS e .EPS em .PDF • Acrobat Reader - Que visualiza os PDF’s

• Jornal do Commercio 173 Anos •

2 3 4 5 Aqui temos o Acrobat Reader, que nos permite uma visualização do PDF,
2 3 4 5 Aqui temos o Acrobat Reader, que nos permite uma visualização do PDF,
2
3
4
5
Aqui temos o Acrobat
Reader, que nos permite uma
visualização do PDF, para
uma melhor conferência do
trabalho, além de nos
possibilitar recursos como
Zoom e pequenas edições
em texto.
O Acrobat possue uma
grande variedade de plug-ins
que aumentam sua
produtividade e integração
com o documento
2 3 4 5 Aqui temos o Acrobat Reader, que nos permite uma visualização do PDF,
6
6
2 3 4 5 Aqui temos o Acrobat Reader, que nos permite uma visualização do PDF,

• Jornal do Commercio 173 Anos •

IMPRESSORAS Na área de DTP (editoração eletrônica), utiliza-se de diversos tipos de impressoras, cada qual com
IMPRESSORAS
Na área de DTP (editoração eletrônica), utiliza-se de diversos tipos de impressoras, cada qual com suas caracterís-
ticas e usos apropriados:
*PLOTTERS:
* JATO DE TINTA:
Impressoras destinadas a grandes formatos, confecção de
Impressão de baixo custo com pouca confiabilidade de
cores.
banners, back-lights, galhardetes e etc
....
como corte eletrônico (vinil, lona e etc
Se apresentam
ou como im-
)
pressão de imagens (jato de tinta, eletroestática,
piezoelétrica e etc
...
).
*LASER PB:
Utilizam de toner preto, com boa confiabilidade em rela-
ção a impressão off-set.
*IMAGESETTERS:
*LASER COLORIDAS:
Utilizam toner nas cores ciano,magenta,amarelo e preto,
estando bem calibrada possue boa calibração de cores e
retículas em comparação a impressão off-set.
Através de um canhão de laser, imprimem em filmes ou
papeis fotográficos, as matrizes de impressão (fotolitos)
com alta resolução (3.000 dpi’s). Se apresentam como
saída de arrastro (fonte de luz fixa) ou saída de cilindro
(fonte de luz móvel).
*PLATESETTERS:
Imprimem direto nas chapas de impressão, dispensando o
uso de fotolitos.
LINGUAGENS DE IMPRESSORAS
*LINGUAGEM POSTSCRIPT:
*LINGUAGEM PCL:
Desenvolvida pela Adobe, é utilizada como padrão em
todas as impressoras “profissionais” como:
desenvolvida pela HP (Hewlett Packard), tornou-se
padrão na maioria das impressoras jato de tinta e algu-
imagesetters, copiadoras coloridas, plotters, platesetters e
em alguns modelos de jato de tinta. Atualmente possue
três versões PostScript nível 1, 2 e 3
...
É uma linguagem funcional, mais pobre em recursos
profissionais, devido a não suportar o principal formato
de exportação o .EPS (encapsulated postscript) e ser
bem mais tolerante a erros e falhas de construção de
arquivos que a linguagem Postscript.
mas laser (HP, Canon, Epson etc
).
DRIVES & PPD’S
Impressoras de linguagem Postscript, sempre utilizam de um PPD (postscript printer description) para funcionar.
Aplicativos como PageMaker, Illustrator, FreeHand, QuarkXpress e o CorelDraw só na sua nona versão de software,
pedem na hora de imprimir ou no fechamento de arquivo o PPD.
Drives e PPD’s são próprios para cada impressora, a função dos PPD’s e complementar e descrever os drives com
informações mais detalhadas como:
formatos de impressão, resolução máxima, nível de impressora e outras características para os aplicativos.
• Jornal do Commercio 173 Anos •
7
FONTES * PADRÃO ADOBE: Conhecidas com TIPO 1 ou POSTSCRIPT, são desen- volvidas pela Adobe, por
FONTES
* PADRÃO ADOBE:
Conhecidas com TIPO 1 ou POSTSCRIPT, são desen-
volvidas pela Adobe, por isso conseguem ser totalmente
compativeis com a linguagem Postscript, o que não impe-
de sua impressão em equipamentos de linguagem PCL (jato
de tinta).
Toda fonte tipo1 é formada de dois arquivos de diferentes
extensões:
CONSIDERAÇÕES GERAIS:
PFB - arquivo de impressão;
PFM - arquivo de visualização;
Os arquivos de impressão (PFB), estão localizados no
diretório Psfonts, já os de visualização encontram-se no
diretório Psfonts/pfm.
Fontes tipo1 são gerenciadas pelo ATM (Adobe Type
Manager) que acompanham os softwares da Adobe, ver-
sões como 3.0 e 4.0 só gerenciam fontes postscript
OPEN TYPE
Aparece como um novo padrão de fontes, sendo
desenvolvido em conjunto com a Adobe, Apple e
Microsoft, o que ocasionará total compatibilidade com a
linguagem de impressora (PCL & POSTSCRIPT), além
de se trabalhar com um padrão multiplataforma (PC &
MAC), mais até o momento não há previsão de lança-
mento
* FONTES DE SISTEMA: No operacional do
Windows, as fontes do sistema são:
Arial, Arial bold, Arial bold italic, Arial italic,
Courier, Courier new, Courier new bold, Courier new
bold italic, Courier new italic, Modern, Ms sans
serif, Ms serif, Small fonts, Symbol, Times new
roman, Times new roman bold, Times new roman
bold italic, Times new roman italic, wingdings

Conjunto de caracteres, projetados em um mesmo desenho, conhecido como tipo de letra. Hoje em dia utiliza- se fontes redimensionáveis, ou seja, que podem ser ampliadas ou reduzidas sem perda de qualidade. Atualmente existem para a área de editoração Eletrônica dois conceitos de fontes:

* PADRÃO TRUE TYPE:

Desenvolvidas pela Apple e Microsoft são inclusas nos sistemas operacionais das duas plataformas (Mac OS & Windows). Por não serem compativeis completamente com a linguagem Postscript, precisam ser convertidas para o padrão Adobe no aplicativo utilizado, quando impressas em imagesetters. São formadas por arquivos de extensão .TTF e estão lo- calizadas no diretório windows/fonts (PC)

*No que se diz respeito à qualidade e confiabilidade, temos que um trabalho realizado com fontes tipo 1 para ser impresso numa imagesetters, a possibilidade de ocor- rer problemas com texto é muito menor, ao passo que uti- lizando fontes true type, estas serão convertidas pelo driver da impressora para tipo 1 *Para a área de Sign, fontes do padrão true type apresentam um grande problema, pois em corpos superi- ores a 50 pontos, começam a serrilhar, o que prejudica a qualidade final do trabalho.

ADOBE TYPE MANAGER DELUXE

Sendo comercializado a parte, porporciona o gerenciamento de fontes tanto no padrão TRUE TYPE, como em TIPO 1 e trabalha com criações de set’s de fontes, que podem ser divididos conforme a utilização do cliente, dessa forma as fontes não estão instaladas conti- nuamente no sistema do computador, pois muitas fontes deixam o sistema lento e até impede alguns programas de rodar, (o .PM6 informa erro de .DLL quando o sistema tem muitas fontes). Com ATM Deluxe basta ativa o set de fonte e quando terminar o trabalho, desativa-lo e pronto as fontes que fo- ram utilizadas já não ocupam mais sistema.

8

• Jornal do Commercio 173 Anos •

curva e degradêes), pois quando não impedem a impres- são, a torna muito lenta. Todos esses
curva e degradêes), pois quando não impedem a impres-
são, a torna muito lenta.
Todos esses “detalhes” são importantes , porque
a linguagem PostScript, requer muitas informações dos
arquivos (.PS ou .PRN) e qualquer falha na construção
do arquivo, pode ocasionar em erro de impressão.
O termo “fechado” vem do fato do arquivo estar codifi-
cado na lingugem PostScript e só poder ser visualizado e
impresso.
* CONCEITO DE ARQUIVO ABERTO:
Arquivo aberto é qualquer arquivo que para ser im-
presso remotamente, ou seja, a partir de um computador
que não o do usuário que criou os arquivos, tem de estar
acompanhados de todos os seus vinculos, além das fontes
utilizadas.
No birô, este arquivo será aberto no aplcativo e plataforma
que o gerou, conferidos e baseado nas informações do cli-
ente, será fechado e enviado para a impressora
OS SOFTWARES NA DTP
* ILUSTRADORES:
Trabalham a partir de vetores (calculos matemáti-
cos) para produzir ilustrações, gráficos, desenhos e
logotipos seus arquivos não dependem de resolução para
atingir qualidade e também não são indicados para traba-
lhos com médias e grandes quantidades de textos.
exemplos: Corel Draw, Adobe Illustrator, Macromedia
Free Hand
* PAGINADORES ou FINALIZADORES:
Trabalham com qualquer massa de texto e diagramen junto com os arquivos
vetorias e bitmap importados dos softwares ilustradores e retocadores.
exemplos: Adobe PageMaker, Adobe InDesign, QuarkXpress

9

ARQUIVO ABERTO X ARQUIVO FECHADO

* CONCEITO DE ARQUIVO FECHADO:

Arquivo fechado é um arquivo preparado para uma impressão remota, pois contém na sua estrutura todas as informações necessárias para uma impressão HIGH•END, tais como:

TEXTOS, ILUSTRAÇÕES, BITMAP’S E FONTES O mais importante quando se fala em arquivos fechados é em seu conteúdo, pois deve-se atentar para alguns itens:

* Captura das imagens, com a resolução e modo de cor apropriados, correspondente ao tipo de trabalho e tecnologia de impressão utilizada (off-set, serigrafia e flexografia); * Atenção para graficos,ilustrações e logotipos, serem adquiridos de forma profissional e com extensão de arquivo correta juntamente com seu modo de cor; * Cuidados especiais, quando na utilização de lentes, sombras e fractais; * Verificar se o formato da página do arquivo digital, esta apropriado ao tamanho da folha do trabalho im- presso;

* Ao excesso na utilização de nós, em objetos muitos complexos (grandes massas de texto, convertida para

* EDITORES E RETOCADORES DE IMAGENS:

Trabalham diretamente nos pixels das imagens(bitmaps), possibilitam plena liberdade de retoque e edição em imagem e fotos, sãoindicados para calibração de imagens, seus arquivos dependem diretamente de reso- lução para atingir qualidade, não são indicados para traba- lhar com pequenas, médias ou grandes massas de textos. exemplos: Adobe PhotoShop, Corel PhotoPaint

Para a perfeita construção de um documento digital, direcionado a confecção de fotolitos, faz-se necessário conhecer e respeitar os limites das três categorias de softwares existentes:

• Jornal do Commercio 173 Anos •

FECHAMENTO DE ARQUIVO O ferecendo custos reduzidos e agilidade na saída de um trabalho em um
FECHAMENTO DE ARQUIVO
O ferecendo custos reduzidos e agilidade na saída de
um trabalho em um birô de fotolito, os “arquivos fe-
3
chados” tornaram-se uma opção muito atraente, para qual-
quer profissional, que venha a utilizar esses serviços.
Na prática arquivos com extensão .PS, .PRN ou .PDF
(postscript 3), aceleram a produção, pois toda a elabora-
ção do trabalho é de responsabilidade do cliente
Rotacione, espelhe ou inverta gráficos somente
no programa onde estes foram criados, antes
de importa-los para umn programa de layout
de página, caso necessário.
(scaneamento de fotos, formato de página, gráficos, etc
...
).
4
remova layer extras, antes de salvar seu gráfico
final.
Enfim, antes de se aventurar a mandar arquivos fechados
ao seu birô de serviços, é preciso que se tenha consciên-
cia de todas as etapas necessárias para que seu job, não
apresente nenhuma surpresa quando for impresso.
5
Defina todas as cores de seu job no modo
CMYK, sendo este colorido e em Grayscale
quando em Preto e branco.
Relacionamos aqui um cronograma de 7 etapas,
contendo dicas para um trabalho sem problemas:
6
Salve seus gráficos e bitmapps em formatos TIFF
ou EPS CMYK, descompactados.
1
Crie seu arquivo de forma que o tamanho da
página que contém o documento, case com o
tamanho da página de trabalho impresso.
7
2
Scaneie suas imagens com o formato o mais
próximo possível do tamanho final e com reso-
lução apropriada.
Utilize softwares com o Adobe Acrobat para
visualizar seu arquivo, após ter gerado seu ar-
quivo Postscript em extenssão .PS ou .PRN, em
busca de erros
Para usuários de plataforma PC, que trabalham com
softwares gráficos, principalmente COREL DRAW e PAGE
MAKER, colocamos aqui algumas dicas específicas para
cada software, procurando assim viabilizar um arquivo apro-
priado para saída de filme.
*LENTES e SOMBRAS:
Deve-se evitar sobrepor lentes, pois uma anula o
efeito da outra, já sobrepondo sombras no corel, normal-
mente ocorrerá um filete na área onde as duas sombras se
cruzam.
*GRÁFICOS:
C orel Draw: o ilustrador vetorial mais popular em
plataforma PC, oferece uma infinidade de opções e
ferramentas para alegria e desespero, dos profissionais
que o utilizam no seu dia-a-dia.Carinhosamente apelida-
do de “corel pau”, e afim de minimizar esta má impressão,
eis aqui as dicas desse programa:
*TEXTURAS:
As texturas encontradas no Corel, possuem uma
estrutura que os Rips não reconhecem, elas oferecem boa
visualização em tela e impressão em inkjets.Já numa im-
pressora postscript para um trabalho de separação é ne-
cessário convertê-las em bitmap CMYK, com 72 dpi
(obrigatoriamente), caso contrário nada será impresso no
fotolito.
Evite copiar e colar gráficos de outros programas
como World, Excell, para o Corel, pois estes softwares
não fazem cores de separação seus gráficos possuem
cores indexadas.Trabalhandocom o processo
COPY&PASTE você esta utilizando a área de transfe-
rência do Windows e criando um vinculo OLE (object
linking embeding).
Quando o gráfico chega ao Rip da imagesetter, equipa-
da com linguagem postscript, que é exigente e pouco
tolerante a erros de arquivos maus construídos, o Rip
não consiguirá as informações necessárias para que o
gráfico seja impresso ou mesmo quando impresso tera
suas cores trocadas, seus fios normalmente ficam mais
espessos e apresenta baixa resolução.
A solução para este problema é recriar estes gráficos
10
• Jornal do Commercio 173 Anos •

e ilustrações em seu programa de desenho favorito, seja redesenhando-as desde o início ou colando-as no Corel, traçando sobre elas e exportando como arquivo .EPS ou .TIFF CMYK para um programa de layout, se ne- cessário.

Caso você precise utilizar em seu progama de layout, um gráfico feito no Corel, Ilustrator ou
Caso você precise utilizar em seu progama de layout, um
gráfico feito no Corel, Ilustrator ou Freehand, nunca utili-
ze o procedimento COPY&PASTE, exporte seus gráfi-
cos em formato .EPS ou .TIFF CMYK descom-
pactados, caso contrário, cometerá o mesmo erro.
*Defina o driver da impressora postcript;
*Em Propriedades defina o formato da página de impressão;
*Habilite “impressão para arquivo”;
* A partir desta versão o Corel utiliza também as vantagens
do PPD (Postscript Printer Description), complementando
assim informações ao driver da impressora
* Na área posição da imagem dentro da página, deixar ha-
bilitado as opções como o documento e no centro da página
3- SEPARAÇÕES
* Habilitar Imprimir separações,
quando o trabalho tiver mais de uma cor;
*Em separações deixar ativado os tópicos
no campo Cobertura automática.
e ilustrações em seu programa de desenho favorito, seja redesenhando-as desde o início ou colando-as no

11

Passo-a-passo Ilustrado para Fechamento de Arquivo Postscript no Corel Draw 9:

1- GERAL

e ilustrações em seu programa de desenho favorito, seja redesenhando-as desde o início ou colando-as no

2 - LAYOUT

e ilustrações em seu programa de desenho favorito, seja redesenhando-as desde o início ou colando-as no
e ilustrações em seu programa de desenho favorito, seja redesenhando-as desde o início ou colando-as no

• Jornal do Commercio 173 Anos •

4- PRÉ-IMPRESSÃO

*Nesta janela ativaremos somente os campos Informações do arquivo,Marcas de corte, Marcas de registro, Barras de
*Nesta janela ativaremos somente os campos Informações
do arquivo,Marcas de corte, Marcas de registro, Barras
de calibragem.
*O campo Configurações de papel/filme suas opções
não são ativadas pois esses comandos, quando necessários
são realizados normalmente pelos Rips das imagesetters.
*Aqui iremos configurar as etapas de gradiente do trabalho,
quanto maior for as etapas, melhor será o resultado do degradê,
valores muito altos costumam deixar o processo de ripagem
das imagens mais lenta nas imagesetters;
*Não havendo um perfil de cor configurado no sistema essa
opção se mantém desativada;
*No campo Opções de prova ativaremos as seguintes op-
ções,
Imprimir vetores, Imprimir bitmaps,Imprimir texto.
*Nesta janela ativaremos somente os campos Informações do arquivo,Marcas de corte, Marcas de registro, Barras

5- POSTSCRIPT * Nesta janela configuramos a linguagem Postsript, cor- respondente ao drive de impressora que possuímos. *Em Compatibilidade ativaremos o nível correspondente ao da impressora instala; *No campo Fontes podemos ativar todas as suasopções,para que as fontes TrueType sejam converti- das para Postscript indispensável para a ripagem do traba- lho; *É importante também habilitar as opções Aumento au- tomático de nivelamento e de etapas de gradiente, para se evitar estriamento em degradês no trabalho.

*Nesta janela ativaremos somente os campos Informações do arquivo,Marcas de corte, Marcas de registro, Barras

6- MISCELÂNEA

6- MISCELÂNEA
  • 12 • Jornal do Commercio 173 Anos •

7- VISUALIZAR IMPRESSÃO *Após estar tudo configurado, temos uma visualização do trabalho a ser impresso, o
7- VISUALIZAR IMPRESSÃO
*Após estar tudo configurado, temos uma visualização
do trabalho a ser impresso, o Corel 9 nos traz a opção
de visualizarmos um nimi preview do trabalho a ser im-
presso, um pouco mais enxuta essa configuração de im-
pressão torna mais ágil a geração de arquivos postscript
em comparação a versão anterior.
Nesse momemto é importante conferir o formato da pá-
gina, se existe alguma cor especial no trabalho,podemos
também visualizar o trabalho em separações de cor ou
com cores compostas.
Agora podemos imprimir nosso trabalho, salvan-
do-o com extensão .PS ou .PRN, contudo é prudente
utilizar programas como o Adobe Acrobat para analizar
o arquivo já em postscript, pois o preview do Corel por
vezes oculta falhas de impressão, que certamente o Rip
da imagesetter de seu Birô de serviços não deixará pas-
sar “em branco”.
P age Maker: um dos programas de layout mais utili
zados, entre designers e profissionais gráficos no geral.
Neste programa deve-se atentar para os seguintes itens
quanto a preparação de arquivos para saída de filme:
*IMAGENS:
Atenção quando estiver trabalhando com vínculos, enviar
sempre ao seu Birô as imagens utilizadas, para serem vin-
culadas ao arquivo, assim não perdendo qualidade quan-
do impressas.
*CORES:
A configuração das co-
res, do seu job, quan-
do este for para sepa-
ração, deve ser sem-
pre no modo CMYK e
de escala.
*caso venha a aparecer no Gerenciador de Vínculos
uma ou duas interrogações na informação, esta imagem certa-
mente não esta vinculada ao arquivo do Page Maker.
• Jornal do Commercio 173 Anos •
13

* DOCUMENTOS:

*Nesta janela inicial os tópicos principais são: # Definir sua impressora,que deve ser reconhecida junto com
*Nesta janela inicial os tópicos principais são:
# Definir sua impressora,que deve ser reconhecida junto com a insta-
lação do software (Page Maker) no seu sistema;
# O Page Maker assim como outros programas como Quark e Ilustrator,
utilizam para imprimir seus arquivos informações adicionais que normal-
mente só estão contidas no driver da impressora, tais informações são
adquiridas nos PPDs das respectivas impressoras;
# Atentar para as opções Agrupar, Ordem inversa e Prova estarem
sempre desativadas;
# No campo Imprimir habilitar Ambas as Páginas;
# No campo Páginas você pode escolher entre imprimir todas as
páginas do documento ou intervalos de páginas.
*Aqui no Page Maker é no campo Papel que definimos o formato
da página de impressão, as marcas de impressão e as informações
de página;
*Em Escala sempre configuramos em 100% do trabalho, salvo
casos especias.
* No campo Tiff/Imagens habilitar em Normal a área Enviar dados de
imagem e utilizar o padrão ASCII para Codificação de dados;
* Em PostScript habilite Incluir fontes não residentes as opções
PostScript e True Type;
* Ative o espaço Gravar o PostScript em arquivo e selecione a
pasta onde será salvo seu trabalho, nessa etapa utilizamos a opção
Normal.

Quando iniciar um novo documento, é válido configurar os campos de Resolução desejada para saída,conforme a necessidade de seu trabalho e selecionar também a im- pressora que será utilizada, para evitar problemas com o texto, pois cada impressora possue uma tabela de Kerning, entrelinhas e ajustes de texto.Configurar um trabalho para uma impressora e imprimir em outra pode causar sérios problemas em seus textos.

*Passo-a-passo ilustrado para fechamento de arquivo no Page Maker 6.5:

1- IMPRIMIR DOCUMENTO

* DOCUMENTOS: *Nesta janela inicial os tópicos principais são: # Definir sua impressora,que deve ser reconhecida

2- PAPEL PARA IMPRESSÃO

2- PAPEL PARA IMPRESSÃO 3- OPÇÕES DE IMPRESSÃO

3- OPÇÕES DE IMPRESSÃO

2- PAPEL PARA IMPRESSÃO 3- OPÇÕES DE IMPRESSÃO
  • 14 • Jornal do Commercio 173 Anos •

4- COR DA IMPRESSÃO *Para trabalhos com duas ou mais cores aplicadas ativaremos a op- ção
4- COR DA IMPRESSÃO
*Para trabalhos com duas ou mais cores aplicadas ativaremos a op-
ção Separações, para arquivos em uma só cor utilizamos a opção
Boneca;
*Na área Tela otimizada selecionamos a linhagem mais adequada
para o nosso trabalho.
Essa janela finaliza o processo de fechamento de
arquivo no Page Maker, recomendamos aqui também, que
seja feita uma visualização do trabalho antes de ser envia-
do ao Birô.
Este procedimento após o fechamento do arquivo,
deve se tornar uma rotina no dia-a-dia de quem utiliza os
serviços de um Birô, pois num mercado cada dia mais con-
corrido o cumprimento dos prazos na entrega dos traba-
lhos é fundamental,e acredito não serem poucos os profis-
sionais do ramo, que já atrasaram seus trabalhos devido a
negligênciar essa etapa tão importante.
Porque o ato de fechar um arquivo para seperação,
não é uma tarefa das mais difíceis e esta longe de ser, mas
a forma que o arquivo é elaborado e como utilizar da
melhor maneira os vários recursos exis
ANOTAÇÕES
• Jornal do Commercio 173 Anos •
15

Q uarkXpress 4.0: Um ótimo finalizador para os mais variados trabalhos, desde jornais e revistas periódicas

até peças publicitárias, numa interface amigavel oferece muitas opções para a elaboração de um layout profissional, mais deixa a desejar no suporte para outros idiomas, o que gera dificuldades na hifenização de textos.

Q uarkXpress 4.0: Um ótimo finalizador para os mais variados trabalhos, desde jornais e revistas periódicas
Q uarkXpress 4.0: Um ótimo finalizador para os mais variados trabalhos, desde jornais e revistas periódicas
Em sua quarta versão permite que seja configurado estilos de impressão, otimizando assim a geração dos
Em sua quarta versão permite que seja configurado estilos
de impressão, otimizando assim a geração dos arquivos
PostScript.
O Quark é um dos softwares de finalização, que possue o
melhor controle de edição de TRAP para a geração das
matrizes de impressão. Onde o valor do trap é dado para
cada cor que o documento possua.

Antes de iniciar o processo de geração do arquivo Postscript, verifique se todos as imagens estão em Modo CMYK e de preferência no mesmo diretorio do documento, para isso utilize o comando Usage do menu Utilities que deve apresentar OK em todas as imagens. Nessa tela escolhemos o drive de impressão que será usado para “fechar” o arquivo, o qual tem que estar configurado em Iniciar/ Configurações / Impressoras / Propriedades / Detalhes para File. Aqui habilitamos as sequências das páginas, informações de registros e impressão de páginas duplas (spreads). As opções Include Blank Pages e Back to Front devem ficar desabilitadas, como também a opção Tiling deve marcar Off. Arquivos de cor seleciona-se Separations

Q uarkXpress 4.0: Um ótimo finalizador para os mais variados trabalhos, desde jornais e revistas periódicas

*Passo-a-passo ilustrado para fechamento de arquivo no QuarkXpress 4.0:

  • 16 • Jornal do Commercio 173 Anos •

No Menu Setup no campo Printer Description, deve-se escolher a descrição do arquivo PPD (PostScript Printer
No Menu Setup no campo Printer Description, deve-se
escolher a descrição do arquivo PPD (PostScript Printer
Description ), previamente instalado no diretorio C:/ Pro-
gram Files / Quarkxpress Passport / XTension , já no
campo Page Size define-se o tamanho da página de
impressão, habilita-se Custom para que nos campos Paper
Width e Paper height criemos nosso formato de página
personalizada, que deve ter 2cm a mais de cada lado de
modo a comportar as marcas de corte e registros.Em Re-
duce or Enlarge marcamos 100%, Page Positioning em
Centered, deixar em 0 as opções Paper Offset e Page Gap
No Menu Output habilitamos para serviços em policromia
no campo Plates Convert to Process, já nos campos Reso-
lution e Frequency configura-se conforme orientação da
Gráfica ou Birô de Fotolito.
Para o Jornal do Commercio utiliza-se 1200 DPI de Resolu-
tion e 100 LPI de Frequency
No Menu Options marcamos None para Page Flip, no
campo Pictures configuramos da seguinte forma: Out-
put-Normal / Data-Binary / OPI-Include Images,
marcamos também as opções Overprint EPS Black e Full
ANOTAÇÕES
No Menu Preview visualizamos um quadro com o formato
da página de impressão, que deve conter o documento,
juntamente com as marcas de recorte e registro
• Jornal do Commercio 173 Anos •
17

I nDesign: O mais recente finalizador para a área de DTP, possue caracteristicas tanto de ilustrador, com varias opções de degrade, tanto em preenchimentos como em contornos, convertendo textos em curvas de forma bem mais agradavel que seu equivalente, além de trazer novidades como finalizador, possuindo um refinado ajuste de kernning, como também um inovador recurso para justificação e hifenização de textos. Permitindo a exportação em arquivos PDF, possue uma grande quantidade de dicionários embutidas em suas bibliotecas, inclusive para o Português Brasileiro. Total compatibilidade com o PhotoShop criando e

editando os path’s contidos nas imagens, trouxe também pequenas novidades mais que no dia-a-dia se tornam
editando os path’s contidos nas imagens, trouxe também
pequenas novidades mais que no dia-a-dia se tornam
essencial, como as multiplas janelas que são atualizadas
sinultâneamente para se ter uma visualização geral do
trabalho e outra numa área ampliada em que se esta
trabalhando, permite configurar as linhas guia para que
não sejam exibidas a partir de um determinado nível de
zoom, pois atrapalham a visualização do layout.
Na geração de arquivos Postscript, só aceita impressoras
configuradas a partir do nível 2 e o fabricante recomenda
para uma malhor utilização que sejam instaladas pelo
Adobe Postscript 4.3 para PC e 8.6 para MAC
• Antes de fechar o arquivo, utilize a opção
de Preflight dentro do menu File, que fará
uma checagem de todos os objetos
contidos no seu trabalho (fontes, vetores,
bitmap’s e uma série de informações
voltadas à impressão) e lhe avisa caso exista
algum vinculo perdido, imagens em RGB,
fontes com problemas. Podemos imprimir
um relatório com os problemas ocorridos
ou se preferir clique em Package e serão
salvos todos os links, fontes e o arquivo
em um único folder, evitando assim o
esquecimento de algum elemento do
trabalho, sendo este enviado ao birô pelo
sistema aberto.
Após setar o driver da impressora,
configura o formato da página de impresão
no campo Properties, a página de impressão deve ser 20 mm maior em cada lado do
que a página do documento, para que caibam as informações de impressão.(registros,
marcas de corte, cores) e nessa janelaque marcamos a sequência de páginas para
impressão, que oferece o recurso de impressão por seções de páginas.
• Na aba Colors configuramos conforme o tipo de trabalho Separations
para Cor e Composite para Grayscale, em Frequency marcamos 100 lpi
e Screening deixamos com 100 lpi/1200 dpi, nessa janela podemos con-
verter qualquer cor Spot (especial) para process (CMYK).

*Passo-a-passo ilustrado para fechamento de arquivo no InDesign 1.0:

I nDesign: O mais recente finalizador para a área de DTP, possue caracteristicas tanto de ilustrador,
I nDesign: O mais recente finalizador para a área de DTP, possue caracteristicas tanto de ilustrador,
I nDesign: O mais recente finalizador para a área de DTP, possue caracteristicas tanto de ilustrador,
  • 18 • Jornal do Commercio 173 Anos •

• Em Scale and Fit marcamos none em Tiling e Scale deixamos em 100% os campos
• Em Scale and Fit marcamos none em Tiling e Scale deixamos em 100% os campos
• Em Scale and Fit marcamos none em Tiling e Scale deixamos em 100% os campos
• Em Scale and Fit marcamos none em Tiling e Scale
deixamos em 100% os campos Width e Height.
Observe que no campo Offset Using Paper Size, todas as
marcas devem estar em preto indicando que o formato da
página de impressão esta suportando o formato da página do
documento.
• No campo Graphics escolhemos a forma que as imgens
do documento serão enviadas para a impressora, o campo
Send Image Data marcamos a opção All, marcamos
também a opção OPI /DCS Image Replacement, no campo
Font Downloading marcamos Complete e Download PPD
Fonts, já os campos Gradient Options e Omit ficam com
suas opções Desabilitadas
• Na aba PageMarks marcamos todas as informações
necessárias para a geração das matrizes de impressão,
nessa janela também é importante que observamos o
campo Offset Using Paper Size, todas as marcas devem
estar em preto indicando que o formato da página de
impressão esta suportando o formato da página do
documento.
A sua última janela de configuração é destinada ao Trap-
ping, que corresponde ao ajuste preciso entre as cores

no momento da impressão. O Indesign trabalha com o recurso InTrap-Rip, que deixa por conta dos Rip’s (interpretadores da linguagem PostScript) das imagestter’s a função de lidar com o trapping nas cores de impressão. Aconselhamos não habilitar esta opção sem um acompanhamento da gráfica ou birô que irá imprirmir o trabalho.

19

• Em Scale and Fit marcamos none em Tiling e Scale deixamos em 100% os campos

• Jornal do Commercio 173 Anos •

QuarkXpress 3.32: Para essa versão mais antiga, resaltamos alguns tópicos importantes como a necessidade da conversão das cores para o processo CMYK, e a utilização do Dashes para a hifenização de textos, e no Menu Utilites a verificação de Fontes e Imagens no documento, antes de gerar o arquivo PostScript.

Cores:

Q uarkXpress 3.32: Para essa versão mais antiga, resaltamos alguns tópicos importantes como a necessidade da

E de extrema importância a verificação das cores no documento do Quark 3.32, devido a ausência de um setup que faça essa conversão de modos de cor na janelade impressão. No Menu Edit / Colors que fazemos esse controle das cores, tanto no modo de cor como também configuramos o Trap (encaixe) das cores na impressão. Na janela Edit Colors escolhemos no campo Model:CMYK e habilitamos ProcessSeparation.

Fontes: Imagens:
Fontes:
Imagens:
Q uarkXpress 3.32: Para essa versão mais antiga, resaltamos alguns tópicos importantes como a necessidade da
Q uarkXpress 3.32: Para essa versão mais antiga, resaltamos alguns tópicos importantes como a necessidade da

No Quark 3.32 temos a necessidade da utilização de um Xtras, O Dashes 2.25 que facilita em muito a diagramação de diversos periódicos, pois automatiza o processo de hifenização de textos, na ausência de uma biblioteca de dicionários da lingua portuguesa. Recomendamos também que altere a Configuração Regional no Painel de Controle para Inglês (U.S.A.), juntamente com a configuração do Teclado

  • 20 • Jornal do Commercio 173 Anos •

*Passo-a-passo ilustrado para fechamento de arquivo no QuarkXpress 3.32:

Nessa versão temos o menu de impressão bem simplificado. Como já foi descrito quando tratamos de impressoras PostScript é necessário além do driver de impressão, ter o arquivo que descreve as características desse driver(Resolução, Nível de Linguagem, Formato de Página) para o aplicativo, conhecido como PPD (PostScript Printer Description), no Quark 3.32 temos outro diretório para esse arquivo dentro de C:/ XTension / PDF, ao invés de PPD usa-se um arquivo de características similar denominado PDF (Printer Description File) - Descrição do Arquivo de Impressão, não confundir com o formato de documentos eletrônicos o PDF (Portable Document Format) - Formato largamente utilizado em vários campos da informática devido a seu alto grau de compactação e o fato de ser multiplataforma.

• No Menu File \ Print habilitamos a janela de impressão para configurar o

numero de Copias a ser impressa e Sequência das paginas de impressão. Nos campos Output marcamos Normal e Tiling: Off e em Separation: On para paginas Cor e Off para as Grayscale, Registration: Centered. As opções Collate / Spreads / Back to front / Include Blank Pages ficam desmarcadas

*Passo-a-passo ilustrado para fechamento de arquivo no QuarkXpress 3.32: Nessa versão temos o menu de impressão
*Passo-a-passo ilustrado para fechamento de arquivo no QuarkXpress 3.32: Nessa versão temos o menu de impressão

21

Em seguida escolhemos a opção Setup , onde vamos habilitar nosso Driver de Impressão, ja configurado para File (gerar um arquivo de impressão). Em Orientation marcamos conforme a orientação da página, Paper escolhemos Cassette para Source . Em Use PDF For habilitamos nosso arquivo como foi descrito anteriormente, deixamos em None o campo EfiColor Profile, os campos halftone Freq. e Resolution são configurados conferme orientação da gráfica, em Data marcamos somente Binary, já no campo Image deixamos todas Desmarcadas e por fim no campo Paper Width marcamos conforme a largura do filme utilizado pelo birô de impressão , Paper Offset e Page Gap recebem o valor de 0 cm.

• Jornal do Commercio 173 Anos •

Bitmap (BMP ou RLE): Formato padrão de imagens bitmap do Windows.Suporta os modo de cor RGB, cores indexadas, tons de cinza e bitmap, não salvando canais alfa; Jpeg (JPG): Formato muito utilizado na cons- trução de sites para Internet.Possue uma taxa de compactação gradativa, que reduz não só em tama- nho, como também em qualidade.Suporta todos os modos de cor, não salvando canais alfa; PSD: Formato próprio do Photoshop.Suporta todos os modos de cor, salvando todos os canais alfa disponíveis; EPS: Formato recomendado para impressão em imagesetters (impressora de fotolitos), utiliza a linguagem PostScript na codificação das informa- ções da imagem. Suporta todos os modos de cor, salvando todos os canais alfa disponíveis; TIFF: Formato largamente utilizado em tra- balhos destinados à pré-impressão e aceito pela maioria dos softwares .Pode ser impresso em im- pressoras de qualquer linguagem.Suporta os canais alfa nos modo RGB, CMYK e tons de cinza e os outros modo de cor sem canais alfa.

Grayscale - 8 bits por pixel,ou seja, 256 ní- veis de cinza, permite o uso de todos os recursos do Photoshop, exceto os que utilizam matizes de cores. Indicado para exibição em tela e impressão; Indexed Color - 8 bits por pixel, forma ima- gens com até 256 cores. Padrão muito limitado, não utiliza todos os recursos do Photoshop.Indicado para exibição em tela; RGB - 24 bits por pixel, divididos em três canais, de todos é o mais flexível, pois permite com- pletamente o uso dos vários recursos do Photoshop, é comum trabalhar uma imagem em RGB e depois convertê-la para o modo mais adequado, depen- dendo do tipo de mídia que será utilizada. Indicado para exibição em tela; CMYK - 32 bits por pixel, divididos em qua- tro canais, não permite o uso de alguns filtros do Photoshop. Use esse padrão para trabalhos utiliza- dos em mídia impressa.

Bitmap - 1 bit por pixel, resultando em uma imagem com duas cores:

*Conhecendo os Padrões de Profundidade de cores (Photoshop):

preto e branco - chapado. Indicado para impres- são;

*Conheçendo os Principais de Arquivo

Formatos

GANHO DE PONTO TIPOS DE GANHO DE PONTO 1 2 2 3 3 PAPEL *GANHO DE
GANHO DE PONTO
TIPOS DE GANHO DE PONTO
1
2
2
3
3
PAPEL
*GANHO DE PONTO MECÂNICO:
Refere-se ao aumento real da área de cobertura do ponto
Bitmap (BMP ou RLE): Formato padrão de imagens bitmap do Windows.Suporta os modo de cor RGB,

(% de retículas), causados muitas vezes por motivos me- cânicos na hora da impressão, entre eles:

pressão da máquina, carga excessiva de tinta, suporte utilizado

Consiste no escurecimento de certas áreas de retícula, no momento da impressão, ocasionada por vários motivos, deixando no impresso final um resultado não esperado.Devido a alteração do formato original da retícula, em compa- ração ao formato impresso no papel. Normalmente as cores do impresso que sofreram “ganho de ponto” se apresentam mais escuras. Há também os casos onde ocorrem o “ganho de ponto negativo” que resulta em cores mais claras.

1- Ponto no formato original;

2- Ganho de Ponto Mecânico; 3- Ganho de Ponto Ótico.

* GANHO DE PONTO ÓTICO:

Refere-se ao aumento da sensação visual de densidade, devido à absorção e penetração da tinta sob o suporte, medido por um densitrômetro, pois está relacionado à quantidade de luz refletida pelo objeto

  • 22 • Jornal do Commercio 173 Anos •

CAUSAS DO GANHO DE PONTO *TIPO DE PAPEL: * OUTROS FATORES: Quanto maior for a capacidade
CAUSAS DO GANHO DE PONTO
*TIPO DE PAPEL:
* OUTROS FATORES:
Quanto maior for a capacidade de absorção de tinta pelo
papel, maior será o “GANHO DE PONTO”, juntamente
com a quantidade de tinta aplicada pela impressora sobre
o tipo de suporte utilizado.
Na indústria gráfica são utilizados principalmente três ca-
tegorias de papel:
-TIPO DE FOTOLITO, matrizes ou chapas de positi-
vos, tem ganho de ponto menor que chapas negativas
(utilizadas em jornais);
-PROCESSO DE GRAVAÇÃO;
-VISCOSIDADE DE TINTA;
-EQUILIBRIO ÁGUA E TINTA NA IMPRESSÃO.
* UNIFORMIDADE:
O ganho de ponto não é uniforme, quanto às porcenta-
gens de retículas. Se apresenta de forma diferente entre as
altas-luzes e sombras de uma imagem.
Vejamos como se comporta em cada parte da imagem,
sabendo-se que uma imagem se divide em três áreas dis-
tintas: Mínimas, Máximas e meio-tons.
COR DO PAPEL:
1-MÍNIMAS: A quantidade de tinta existente nos pe-
quenos pontos não é suficiente para provocar um aumento
significativo na área de cobertura.
Se apresenta como um ganho de ponto ótico, pois a tona-
lidade do branco do papel sobre as cores e tons da ima-
gem.
Uma cor verde impressa no papel jornal, resulta em um
tom diferente, menos brilhante e saturado que o original
em papel couchê branco.
IMPORTANTE:
2-MÁXIMAS: Devido ao maior tamanho do ponto, nes-
sas áreas de máxima, compensa o crescimento da área de
cobertura. Além disso boa parte da tinta espalha-se por
áreas já cobertas por pontos adjacentes.
O Ganho de Ponto deve ser compensado no momento
que as imagens são tratadas, especialmente para impressão
em papel jornal, removendo um pouco da densidade de
tinta de cada canal seguindo tabela abaixo:
3-MEIO-TONS: É nessa região de retícula que se apre-
senta o ganho de ponto mais acentuado (25%-75%), com
picos nas áreas de 50% a 60%.
GANHO DE PONTO MÉDIO
* TIPO DE LINEATURA:
Quanto maior for o numero da lineatura, significa que me-
nor e mais próximo os pontos da retícula se encontram e
mais acentuado e difícil se torna controlar o ganho de ponto.
Devido a isso têm-se o uso restrito das retículas
estocásticas, que necessita de um elevado nível de con-
trole de impressão com ótimas condições de trabalho
(tinta,papel,equipamento).
Reticula CYAN MAGENTA AMARELO PRETO
10%
23
15
13
11
20%
30
30
24
22
50%
35
34
31
28
70%
22
20
19
18
* TIPO DE EQUIPAMENTO:
Em se tratando de impressão, a regra diz, que quando
uma máquina esta otimizada para velocidade, menos ela
esta otimizada para qualidade, por isso máquina de alta
produtividade (rotativas, principalmente alimentadas por
bobinas), apresentam um ganho de ponto maior que má-
quinas mais lentas (planas, alimentadas com folhas planas).
90%
9
11
10
8
• Jornal do Commercio 173 Anos •
23

ÁREAS DE RETÍCULA

95%

O%

ÁREAS DE RETÍCULA 95% O% 5% 1O% 15% 20% 25% 30% 35% 40% 45% 90% 85%
ÁREAS DE RETÍCULA 95% O% 5% 1O% 15% 20% 25% 30% 35% 40% 45% 90% 85%
5% 1O% 15% 20% 25% 30% 35% 40% 45% 90% 85% 80% 75% 70% 65% 60%
5%
1O%
15%
20%
25%
30%
35%
40%
45%
90%
85%
80%
75%
70%
65%
60%
55%
5O%
ÁREAS DE RETÍCULA 95% O% 5% 1O% 15% 20% 25% 30% 35% 40% 45% 90% 85%
  • 24 • Jornal do Commercio 173 Anos •

• Jornal do Commercio 173 Anos • 25

• Jornal do Commercio 173 Anos •

25

26 • Jornal do Commercio 173 Anos •
26
• Jornal do Commercio 173 Anos •
Produção e Desenvolvimento: • Coordenação Industrial • Digitalização Contatos: e-mail - jcom01@jcom.com.br Tel.: (21) 518-3737 Ramal
Produção e Desenvolvimento:
• Coordenação Industrial
• Digitalização
Contatos:
e-mail - jcom01@jcom.com.br
Tel.: (21) 518-3737 Ramal - 140 / 159
Fax.: (21) 516-9042
Disque-Digital
(021)
518 3737
R.140
Serviço de suporte, através deste número voce obterá a ajuda
necessária para o envio dos seus trabalhos.
• Jornal do Commercio 173 Anos •
27

MAPA PARA ENTRADA DE MÁQUINA

FORMATO: STANDARD Legenda COR P&B
FORMATO: STANDARD
Legenda
COR
P&B

Imprimimos 20 (vinte) páginas de uma única vez, sendo no máximo 8 (oito) coloridas, segue abaixo tabela demonstrando as posições das páginas coloridas para outras quantidades de páginas, exceto no caso de 16, 12 e

  • 20 páginas temos duas opções para o posicionamento das páginas cor. No Jornal do Commercio pode-se

imprimir COR na 1º, 2º , penultima e última páginas de cada caderno de impressão

  • 10 Páginas:

    • 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

-

  • 12 Páginas:

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

  • 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

    • 14 Páginas:

      • 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14

      • 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14

        • 16 Páginas:

          • 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16

            • 18 Páginas:

              • 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18

FORMATO: TABLÓIDE
FORMATO: TABLÓIDE
  • 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18

  • 20 Páginas:

  • 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20

  • 20 Páginas:

    • 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20

    • 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20

  • 24 Páginas:

  • 28 Páginas:

  • 32 Páginas:

  • 36 Páginas:

  • 40 Páginas:

  • Imprimimos 40 (quarenta) páginas de uma única vez, sendo no máximo 16 (dezeseis) coloridas, segue

    abaixo tabela demonstrando as posições das páginas coloridas para outras quantidades de páginas:

    • 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24

    • 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28

    • 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28

    • 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28

    29 30 31 32

    • 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28

    29 30 31 32 33 34 35 36 29 30 31 32 33 34 35 36

    • 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28

    • 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28

    29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40

    • 28 • Jornal do Commercio 173 Anos •