You are on page 1of 88

Biologia Evolutiva

Histórico

1
 O que é evolução?

Evolução = desenvolvimento?

2
EVOLUÇÃO
Conceito

 Evolução é a mudança comumente


descrita pelo uso da palavra
desenvolvimento.

 Ex.: Desenvolvimento do automóvel.

3
EVOLUÇÃO BIOLÓGICA

 Aplicação do conceito de evolução às


formas vivas.
 Teoria de que todos os organismos vivos
atuais são descendentes com
modificações de outros organismos que
viveram no passado.

4
Propriedades

 Esta descendência direta é uma propriedade


específica da evolução Biológica.

 A mudança ocorre entre gerações.

 Diferentemente do senso comum, que atribui


a origem de uma forma moderna a partir de
outra forma moderna (“O homem veio dos
macacos”), cada forma atual é produto de
longa história evolutiva.
5
Iconografia canônica da evolução: A. Representação incorreta, apontando para a evolução linear. B. Hipótese filogenética
apresentando as relações de parentesco entre os principais hominídeos descritos até o momento, com as indicações de datações
(de Santos; Klassa, 2012).
6
Teoria da Evolução

Apenas uma Teoria?

7
Teoria Científica
A Academia Nacional de Ciências dos EUA define uma
teoria como sendo “uma explicação plausível ou
cientificamente aceitável, bem fundamentada, que
explica algum aspecto do mundo natural. Um sistema
organizado de conhecimento aceito que se aplica a
uma variedade de circunstâncias para explicar um
conjunto específico de fenômenos e predizer as
características de fenômenos ainda não observados”.

O dicionário Michaelis On-line define teoria como


sendo uma “hipótese já posta à prova, no mundo
real, e, assim, aceita por cientistas orientados e
experimentados no assunto; está, porém, sempre
sujeita a modificação de acordo com novas
descobertas”.
8
Desenvolvimento do pensamento
evolucionista

9
Tudo sempre começa com os
gregos...

10
Influencia de pensadores gregos na
Biologia Evolutiva

• Platão
– Essencialismo

• Aristóteles
– Teleologia, escala natural

11
O essencialismo platônico

• Existência de
“Formas”, ou εἶδος,
acessíveis aos homens
por meio dos sentidos
(aparências) e,
consequentemente,
imperfeitas, -
φαινόμενα.

12
A alegoria da caverna – A República

13
Diversidade biológica segundo Platão

14
15
Platão e biologia

16
Aristóteles
•Primeiro biólogo cujo trabalho
sobreviveu até hoje

•Pensamento finalista, órgãos


surgiam PARA ter alguma função
específica

•Obras: “História dos animais”, Aristóteles, 384-322 AC


“Geração dos animais” e “Partes
dos Animais”
• Classificava os animais de acordo com a chamada
Scala Naturae, dividindo-os ainda de acordo com
caractéres simples (presença de sangue, ovo)
17
Teleologia
• As estruturas dos organismos devem
ter um proposito?

• Os organismos devem ter um


proposito?

• O desenvolvimento animal deve ter


um proposito?

18
Escala natural
• Os organismos podem ser
graduados conforme uma
escala de complexidade

• Os termos “inferior” e
“superior” são
frequentemente usados

• Os gregos não abordaram


filosoficamente o tempo

• Para os gregos, o universo


sempre existiu conforme
observado 19
O tempo em biologia

20
Teleológico X teleonômico

• Teleológico (do grego τέλος, finalidade, e


-logía, estudo) = existe um “planejador” e
uma razão de ser
– Cosmogonia judaico-cristã

• Teleonômico = Qualidade de aparente


finalidade. Não existe um “planejador”, a
razão de ser e circunstancial
– Adaptação

21
Criacionismos

22
Nipônica
A mitologia japonesa explica que no início, os
deuses não estavam satisfeitos com a quantidade
de comida fornecida no Universo. Então eles
criaram esferas giratórias com gente para servi-los.
Só que suas mulheres não deixaram dando força
aos habitantes dos planetas e assim se iniciou uma
guerra que foi tão intensa que foi daí que surgiu
o Sol. Os deuses acabaram perdendo a arma que
lhes dava a força e o poder para os terráqueos, que
criaram tudo o que há na Terra, como árvores e
frutos para poder ter condições de viver.

23
A cosmogonia abraâmica e a biologia

• As três grandes religiões monoteístas do


mundo – cristianismo, islamismo e
judaísmo – influenciaram profundamente o
pensamento ocidental

• O entendimento dos seres vivos também


foi influenciado por essas correntes de
pensamento

24
A genealogia das religiões abraâmicas

25
A origem dos seres vivos segundo
os Hebreus
• Narração do ‫בראשית‬
(Bereshit, da Tora),
Gênese e ‫( ُق ْرآن‬Alcorão)
– Criação do mundo em
7dias
– Homem criado imago
Dei (do barro)
– Seres vivos criados
para servir ao homem

26
O tempo para os estas religiões

27
Scala naturae – a grande cadeia dos seres

Rhetorica Christiana (1579)

28
Nascimento da Teologia Natural

• esforços de tentar “provar Deus por meio


da natureza”

• Preocupado com os avanços materialistas


da tradição newtoniana em Filosofia Natural,
John Ray publica Wisdom of God as
Manifested in the Works of Creation (1691)

• Natureza e complexa demais para ser


oriunda de causas meramente naturais sem
proposito 29
30
http://richarddawkins.net
Teologia Natural
• Precocemente descrita por Santo
Agostinho e posteriormente melhor
elaborada por John Ray e William Paley
(1743-1805)

• Diz-se que “ajudou” o desenvolvimento da


biologia porque permitia aos clérigos que a
estudassem sem entrar em conflito com
suas crenças

• O argumento do relojoeiro...
... como explicar a complexidade?

31
Origem do Homem

• Tentativas de se desvencilhar da narrativa


bíblica, pois a interpretação literal estava
intelectualmente ultrapassada

• Por exemplo, James Usher, em 1650,


calculou que a Terra tinha surgido em 4004
ac, pois esse era o somatório das idades dos
patriarcas

32
Fósseis
• Naturalistas começaram a interpretar fosseis como
vestígios de seres vivos

• John Woodward – Essay toward a Natural History


of the Earth (1695)

– Fosseis foram formados no


Diluvio

• John Hooke - Discourse of


Earthquakes (1668)
– Fosseis foram formados por
movimentos da Terra
33
Nicolas Steno e a paleontologia
• Acreditava-se que Dentes fossilizados de tubarão
eram cunhas de trovão que haviam sido mandadas do
céu para matar as pessoas.

• Conta-se que dois pescadores encontraram um


tubarão e levaram-no para o anatomista Steno

• Steno (1638-1686) viu que os dentes eram


idênticos à determinadas pedras - tongue
stones

• Ele sugeriu que as pedras eram, de fato,


dentes de tubarões vivendo no passado

• Lei da superposição: fósseis eram oriundos de


organismos vivendo no passado

34
O Iluminismo
• No século XVIII, um
novo conjunto de ideias
favoreceu uma
interpretação naturalista
do mundo

• Grande influencia da
revolução cientifica

35
36
http://web.mac.com/clintkelly1/Site/Fieldwork_files/evolution%20cartoon.gif
Benoit de Maillet
• Telliamed (1720)
• Primeiro a propor uma
explicação evolutiva para a
origem do homem.

• Propôs que a Terra era muito


antiga e que fosseis de
organismos marinhos eram
encontrados em montanhas,
pois os mares antigos haviam
recuado

• A vida surgiu varias vezes por


meio de “germes” que se
adaptaram a diferentes locais
37
Lineu
• Classificação hierárquica
• Representação do plano do criador

38
Philosophie Zoologique
(1809)
• Lamarck foi o primeiro a considerar a
evolução dos organismos e a criar
uma teoria abrangente e concisa para explicá-la

• 1778 – Flore française (apoiado por Buffon)

• Os organismos apresentavam uma força


intrínseca que promovia a mudança.

 Transformação linear de espécies Transformismo

• MECANISMO Lamarckismo
• Uso e desuso como fonte da variação
– Interação direta com o ambiente modificaria a organização de
fluídos no organismo, dando-lhes um poder de transformação 39
“Le pouvoir de la vie” – a forca da vida

40
Cadeia dos seres de Lamarck

41
Lamarck: Primeiro modelo de evolução
Ambiente em mudança

Altera as necessidades dos organismos

Organismos mudam de comportamento

Usam uns órgãos mais do que outro

Alteração das características dos organismos

Mudança passa para a 42

descendência
Impacto do Lamarckismo

• À época: quase nenhum


• Acreditava que havia uma conspiração
contra seus estudos ou contra si mesmo
• Gênio difícil?
• Epistemologia
Contexto da descoberta X contexto da
justificação
• A sociedade não estava preparada?

43
Lamarckismo foi ultrapassado?
• A grande cadeia dos seres ainda é
pensada por “leigos”?

• Tribalistas:
“Um dia já fui chimpanzé
agora eu ando com o pé
Dois homens e uma mulher
Arnaldo, Carlinhos e Zé”

44
http://cienciaonline.blogspot.com/2006/04/ancestralidade-comum-e-o-tribalismo.html
CRONOLOGIA DO PENSAMENTO EVOLUTIVO

45
A era Darwiniana
da Origem das espécies
até o fim do século XIX
(1859-1900)

46
Charles Robert Darwin
 Em 1825, aos 16 anos, foi estudar medicina
da Escócia onde entrou num grupo de história
natural um prof. Lamarckista

 Escócia: estudantes e professores não eram


atrelados a nenhuma religião oficial.

 Não chegou a concluir o curo de medicina


Universidade de Edimburgo - Escócia

Sabia que herdaria uma quantidade considerável de


seu pai.
 Seu pai resolveu então que ele deveria ser Clérigo
para ter alguma função na sociedade, muda-se para
Cambridge.
 Nessa época, Darwin ainda acreditava na “verdade
estrita da Bíblia.”
 Esporte preferido: “Besourar” – Premiado em uma
revista científica:
47
“O momento de maior orgulho em minha vida”
Profa. Aline Braga
Na época de Darwin...
Muitas pessoas observadoras e inteligentes haviam questionado a
versão bíblica da Criação.
Primeira refutação: Geologia

No passado: Eram simplesmente rochas que, por


coincidência, tinham formas de plantas ou animas.
Mas como poderiam ter se transformado em pedra em apenas alguns48
milhares de anos?
O nascimento da geologia
moderna

49
• O entendimento moderno de ´tempo geológico´
nasceu nos trabalhos dos escoceses James
Hutton e Charles Lyell

teoria Uniformitarista, "a superfície da Terra


teria sido sempre alterada de forma gradual, tendo
por agentes forças naturais conhecidas, tais como
a chuva, a neve, a erosão, a deposição, a
sedimentação, o vento etc."

50
A trajetória do pensamento
evolutivo
James Hutton (1726 – 1797)
 Gradualismo: A Terra teria sido formada por
processos geológicos lentos que causam mudanças
profundas e não devido a uma série de episódios
catastróficos.

 A Terra era muito mais antiga do que se


imaginava

“Portanto, o resultado desta nova investigação é que não encontramos


vestígio de um começo nem perspectiva de um fim”

Pensamento coerente com o paradigma newtoniano


51
Rochas sedimentares - Fósseis

52

Profa. Aline Braga


À época de Darwin...

(1822)

Gideon e Mary Ann Mantel, Iguanodon

 Mas Deus não criara cada espécie na sua forma definitiva para toda a
eternidade?
Antediluvianos (anteriores ao Dilúvio) 53
A viagem do Beagle
Saída: 27 de dezembro de 1831

 27 metros de comprimento

 74 homens a bordo

Darwin levou o livro


principles of geology
(Charles Lyel) 54
A viagem do Beagle- Ilhas Galápagos
“Nada poderia ser menos convidativo do que esse primeiro relance”

55
A viagem do Beagle- Ilhas
Galápagos
 Questões que formaram a base da obra de Darwin:
Por que tantas espécies viviam só em Galápagos e em nenhum
outro lugar?
 Por que as espécies de plantas e animais variam de ilha para
ilha?
“É o destino da maioria dos viajantes: nem bem descobrem o que há de
mais interessante em um lugar, têm de partir às pressas”

“Galápagos: A origem de todas as minhas ideias”


56
A volta para casa – outubro
de 1836
Árduo trabalho: por em ordem os produtos de sua viagem:

 Diário de 770 páginas

 Volumosos cadernos de anotações


sobre geologia e zoologia

 Milhares de espécimes...

Entrou para Sociedade Geológica de


Londres
57
Nasce uma teoria...
 Depois de organizar e analisar todo o material obtido durante a
viagem a Bordo do Beagle, Darwin começa a postular a TEORIA DA
EVOLUÇÃO.
Os tentilhões das ilhas Galápagos

1 2 1- Bico forte: emborcar pedras sob as


quais a ave procurava alimento

2- Bico estreito e curvo: arrancar


insetos e cactos.
3 4
3-Bico curto e grosso: quebrar
sementes.

4- Bico longo e afilado: picar aves


marinhas e beber-lhes o sangue

 Diferentes espécies provinham de ilhas distintas. 58


http://myhome.iolfree.ie/~lightbulb/Images/Darwin%27s-
Finches.gif
59
A elaboração da teoria
 “Sabia” do impacto que teria sua teoria
 1842: 35 páginas; 1844: 230 páginas
 Precisava acumular evidências fortes
e se tornar alguém respeitado na área
para que acreditassem nele.
 1858 – recebe uma carta de um jovem
naturalista relatando sobre a seleção
natural
 Vê-se obrigado a publicar um resumo da
sua obra com certa pressa
 Existiram 6 versões da obra, cada uma
com pequenas diferenças
NÚMERO DA EDIÇÃO LANÇAMENTO OBS.
Primeira edição 24/11/1859 (1250 exemplares, vendidos no mesmo dia)
Adição de “pelo criador” na frase de fechamento do
Segunda edição 07/01/1960
livro
Terceira edição 1861 Adição de conteúdo e correções
Quarta edição 1866 Adição de conteúdo e correções
Adição de conteúdo e correções. Primeira vez onde foi 60
Quinta edição 10/02/1869
utilizada a expressão “a sobrevivência do mais apto”
Sexta edição 19/02/1872 Pequenas correções e acréscimos à quinta edição
Alfred Russel Wallace

• Continuou sua carreira de evolucionista,


publicando diversas obras
• Enquanto Darwin ressalta a luta pela
sobrevivência, Wallace prezava a pressão
ambiental em moldar os organismos
• Em 1889 publicou um livro chamado
“Darwinismo”
61
♦ AMPLITUDE DA EVOLUÇÃO
→ Sistemática

→ Ecologia

→ Genética

→ Biogeografia

→ Zoologia

→ Paleontologia

→ Fisiologia

→ Anatomia
A ORIGEM DAS ESPÉCIES

A Evolução é a explicação para a


diversidade e unidade da vida na
terra.

A Seleção Natural é o mecanismo.

Inferências baseadas em 5 observações


OBSERVAÇÃO 1

Espécies têm grande poder


de reprodução potencial

Populações crescerão
exponencialmente se todos
os indivíduos sobreviverem e
se reproduzirem
OBSERVAÇÃO 2
Populações tendem a permanecer estáveis no
tempo, exceto por flutuações sazonais.
OBSERVAÇÃO 3
Recursos ambientais são limitados.
OBSERVAÇÃO 4
Indivíduos em uma população
possuem enorme variabilidade.
OBSERVAÇÃO 5

Muita dessa
variabilidade é herdável.

(Darwin não conhecia o


mecanismo)
Gradualismo

 Forte oposição: espécies eram vistas como entidades


criadas por deus que podiam, no máximo, extinguir-se
 Incompletude do registro fóssil evidenciava o
saltacionismo
 Geólogos catastrofistas: Cuvier (múltiplos eventos de
extinção)
 Intermediários mal-adaptados
 De Huxley a Darwin: “Você onerou com uma dificuldade
desnecessária ao adotar Natura non facit saltum tão sem
reservas”
 Suporte dos naturalistas que conheciam casos como o dos
tentilhões de Galápagos
 Evidência de exceções (alotetraplóides) 69
As cinco teorias de Darwin
1. Evolução propriamente
dita
2. Ancestralidade comum
3. Gradualismo
4. Seleção natural
5. Pensamento populacional

•Darwin: a minha teoria


Diferentes graus de
aceitação (e dúvida) por
parte de seus
contemporâneos
70
A evolução propriamente dita
• A primeira revolução darwiniana:
... Confrontação com os criacionistas!
• Darwinismo = ateísmo
• Thomas Huxley

Bispo Wilberforce: “O senhor é


descendente de macaco por parte de avô
ou de avó?”

Huxley: “Prefiro descender de macacos do


que de pessoas que usam sua
autoridade para mascarar e esconder
a verdade”

71
http://www.ffrf.org/fttoday/2006/dec 72

/images/addis-darwin-cartoon.jpg
O período pós-Darwin
 Uma grande parcela dos naturalistas
aceitava uma combinação de seleção
natural com herança das
características adquiridas

 Darwin não sabia como surgia a variação


(assim, explicava por uso e desuso!)

“Habitats modificados produzem um efeito herdável no


período de floração de plantas quanto transportadas de um
clima a outro. Com animais o uso e desuso tem uma
influência ainda mais marcante; (...)”
Charles Darwin, Origem das espécies (6ª edição)
73
74
August Weissmann
• Refutação da herança do
caracteres adquiridos
• Teoria do germoplasma
- divide germe e soma

•Experimento clássico:
Weissmann cortou os rabos de 1500 ratos
repetidamente por 20 gerações e verificou
que nenhum rato nasceu sem rabo.

“901 ratos foram produzidos em 5 gerações


de pais mutilados e ainda não houve um só exemplo de
rabo rudimentar ou qualquer outra anormalidade
no órgão” 75
Gregor Mendel
 Contemporâneo de Darwin,
jamais se encontraram...
 Monge austríaco
 Publicou “Experimentos sobre a
hibridização de plantas” em 1865
e foi citado apenas 3 vezes nos
35 anos que se seguiram! Gregor Mendel (1822-1884)

 Morreu sem ser reconhecido

76
A era pós-Darwiniana: da
redescoberta de Mendel,
passando pela Nova Síntese
e a revolução da biologia
molecular (1901-)

77
Os neomendelianos
 Bateson
 Reinterpretação do mendelismo: sem
observação de mudanças graduais
 Não havia intermediários: ervilha
verde ou amarela, semente lisa ou rugosa
 Refutação do gradualismo?
 Saltacionismo

78
Thomas Morgan

 Teoria cromossômica
da herança

 Genética de drosófila

 Mostrou que pequenas


mutações poderiam
gerar modificações
perenes em populações

 Retorno a Darwin 79
Genética de populações
 Fisher, Wright e Haldane
Haldane:
Ronald
 Fisher
uma teoria matemática 1890 –1962
para a seleção natural e
artificial
 Wright: Sewall
Wright
endocruzamentos, 1889 –1988
sistemas reprodutivos e
deriva genética
 Fisher:
ligação gênica, frequências
gênicas JBS Haldane
1892 –1964
80
A nova síntese
• Reuniu os conhecimentos dos
geneticistas de populações
com os conhecimentos dos
naturalistas

• Populações e Espécies
naturais

• Anagênese X Cladogênese

• Theodor Dobzhansky:
“Nothing in biology makes
sense except in the light of
evolution”
81
Ernst Mayr
 Junto com Dobzhansky, Julian
Huxley, Simpson e Stebbins foi um
dos arquitetos da nova síntese

 O maior biólogo evolucionista do


século XX (1904-2005)

 Sistemática e a origem das


espécies (1942)
Conceito biológico de espécie
82
Willi Hennig
 Pai da sistemática filogenética
 Phylogenetischen Systematik (1950/66)
 Formalizou os métodos matemáticos e
estatísticos de análise filogenética

83
Motoo Kimura

1924--1994
 Primeira grande teoria derivada do
estudo evolutivo em escala molecular
 Neutralismo: A maioria das substituições
de nucleotídeos no DNA não tem impacto
no fenótipo
 Refutação do darwinismo? (enquanto
seleção natural)
 Controvérsia neutralismo X selecionismo

84
Stephen Jay Gould
 Crítica ao programa adaptacionista
• Exaptação: órgão surge para uma função mas
é utilizado depois em outra função.

 Equilíbrio pontuado
• refutação do gradualismo?
• nota de roda-pé?

 Vida maravilhosa
• A contingência da história da vida
• Play it again!

 O bêbado na sarjeta, a bactéria modal,


o polegar do panda, o sorriso do
flamingo, os dentes da galinha, etc...

http://stephenjaygould.org/ Stephen Jay Gould 85

(1941 – May 20, 2002)


Richard Dawkins
• O ultra-darwinista
• Reducionismo/Genecentrismo
• O gene egoísta (1976)
• Egoísta mesmo?

• Exaltação da ciência
• Deus: um delírio

• Seleção de parentesco
• Altruísmo X Egoísmo

• Teoria do investimento parental


• Abriu as portas para a psicologia evolucionista

• Memética: evolução das ideias

http://www.macroevolution.narod.ru/gene/gen 86

e30.htm
Basicamente, essa teoria faz referência a duas principais
conclusões:
1) a evolução pode ser elucidada pelas mutações e pela
recombinação gênica, norteadas pelo processo de seleção
natural;
2) os fenômenos evolutivos fundamentam-se nos mecanismos
genéticos. Ou seja, a variação genética em populações aparece
aleatoriamente por meio de mutação (hoje se sabe que isto pode
acontecer devido a erros na replicação do DNA) e recombinação
genética.

A evolução consiste basicamente em modificações na frequência


dos alelos entre uma e outra geração como um resultado de
deriva genética, fluxo gênico e seleção natural. A especiação, que
se diga, o aparecimento de novas espécies ocorre gradualmente
quando populações são isoladas reprodutivamente, por exemplo,
87
por barreiras geográficas.
Onde estamos hoje?
• Evolução é amplamente suportada por dados
moleculares, morfológicos, paleontológicos
• O darwinismo universal de Blackmore
Darwinismo como modelo genérico de
entidades que se auto-replicam e se
modificam com o tempo
• Genômica comparativa

• Ferramentas computacionais para a


análise da evolução dos organismos com
dados genômicos
88