You are on page 1of 32

Contracepção

na
adolescência
Márcia Sofia Barreiro
Interna Complementar de Ginecologia e Obstetrícia
Departamento Saúde da Mulher e de Criança
Director: Dr. Serafim Guimarães
Introdução
Nas últimas décadas tem-se assistido a uma maior
precocidade no desenvolvimento biológico dos
adolescentes mas que não está associada a uma
maturidade psicológica e social. A maturidade sexual
adquirida sem informação adequada conduz a
comportamentos sexuais de risco, como são as relações
sexuais desprotegidas. As consequências imediatas são a
gravidez não desejada e a transmissão de doenças de
carácter sexual, com repercussões futuras na fertilidade,
risco acrescido de cancro do colo do útero e SIDA.
Introdução
Dar conhecimento aos adolescentes dos métodos
contraceptivos mais adequados, não conduz a
uma maior precocidade do início das relações
sexuais antes leva ao decréscimo da gravidez
indesejada e do aborto provocado e suas
complicações.
Métodos
• Contraceptivos orais (CO)
• Depo-Provera, Norplant
• Dispositivo intra-uterino
• Preservativo masculino/feminino
• Diafragma
• Contracepção de emergência
• Hormonal
Oral: pílula; minipílula;
pílula do dia seguinte
Injectável e Implante • Depo-Provera, Norplant

• Local / Barreira
Preservativo
• Dispositivo intra-uterino
Diafragma

• Natural
Abstinência periódica
Coito interrompido

• Esterilização
Contraceptivos Orais Combinados
• Contêm estrogénio e progestagénio
sintéticos
• Dose de E2 ≤ 50 Mcg
• Apesar da diversidade, efeitos laterais e
eficácia similares
• Requerem adesão da paciente
• Podem ser monofásicos ou trifásicos
Pílula - Mecanismo de acção

• Inibição da ovulação • Suprime libertação


LH/FSH (E2 ⇓
FSH, P ⇓ LH)

• Atrofia endometrial

• Espessamento do muco cervical • Progestagénio


espessa o muco
cervical e altera o
endométrio
COCs: Benefícios contraceptivos
• Eficácia elevada
• Facilidade de utilização
• Reversibilidade
• Poucos efeitos laterais
COCs: Benefícios adicionais
Acção terapêutica em:
• Dismenorreia
• Regulação menstrual
• Metrorragias disfuncionais (⇓ risco de anemia)
• Endometriose
• Acne - Hirsutismo
Diminuição da incidência de:
• Cancro do ovário e endométrio
• Patologia benigna da mama e do ovário
• Doença inflamatória pélvica alta
COCs: Efeitos Laterais
• Amenorreia
• Metrorragias / spotting
• Náuseas / tonturas / vómitos / vertigens
• Acne
• Hipersensibilidade mamária (mastalgia)
• Hipertensão arterial
• Aumento de peso
• Alteração de humor (depressão)
• Diminuição da líbido
COCs: Riscos
• Tromboembolismo (≥ 35 anos, fumadora)
• EAM (apenas fumadoras):
– < 15 cig/dia: 3x Risco
– > 15 cig/dia: 21x Risco
• Adenomas do fígado (muito raros)
Mini-Pílula
Indicada quando CI
Só com
para os COCs e para
progestagénio mulheres que estão a
amamentar
CO: Vigilância
Interrogatório:
• Ant. familiares: Diabetes, Dislipidémias, HTA,
AVC, Cancro da mama
• Ant. pessoais: HTA, Acidentes trombóticos,
Patologia ginecológica
• Tratamentos actuais: Barbitúricos, Anti-
epilépticos, Rifampicina
• Hábitos tabágicos
Exame clínico:
• Peso, Altura, Tensão arterial
• Exames mamário e ginecológico (c/ CCV)
CO: Vigilância

Exames laboratoriais:
• Glicemia
• Perfil lipídico
Periodicidade habitual:
• Controlo clínico e tensional uma vez ao ano
• Controlo bioquímico de 2/2 anos
• Repetição do perfil lipídico 3 meses após a
primeira toma
Instruções na administração
Início da utilização:
• 1º dia da menstruação
• tome imediatamente se tem certeza de não estar grávida e não
teve relações sexuais sem protecção desde o último período
menstrual
Pílula esquecida:
• < 24 h - tome pílula imediatamente e regresse à rotina
• = 24 h - tome pílula esquecida e próxima ao mesmo tempo
• > 24 h - tome última pílula esquecida e a próxima a tempo
Método contraceptivo adicional:
• primeiros 7 dias após o início da contracepção oral
• durante 7 dias se houve atraso superior a 12 h na toma
• durante a toma de um fármaco com interacção medicamentosa
e nos 7 dias seguintes
COCs: Contra-indicações absolutas
• Antecedentes de tromboembolismo
• Risco acrescido de trombose: Cardiopatias,
Hemoglobinopatias, Imobilização prolongada
• HTA grave
• Insuficiência renal crónica
• Dislipidémias graves
• Doença hepática evolutiva
• Neoplasias hormonodependentes (Cancro da mama e
do útero)
• Gravidez
• Migraine focal
COCs: Contra-indicações relativas

• Diabetes mellitus
• HTA moderada
• Cefaleias intensas
• Hábitos tabágicos
• Anemia de células falciformes ou drepanocitose
• Obesidade
Interacções potenciais entre os contraceptivos
orais e fármacos seleccionados
O fármaco diminui a eficácia dos Cos
Amoxicilina, Ampicilina, Carbamazepina, Metronidazol,
Fenobarbital, Fenitoína, Rifampicina, Tetraciclina

Os contraceptivos orais diminuem a eficácia do fármaco


Clofibrato, Lorazepam, Oxazepam, Salicilatos

Os contraceptivos orais potenciam o efeito do fármaco


Benzodiazepinas, Beta-bloqueadores, Cafeína, Cortocosteróides,
Teofilina, Antidepressivos tricíclicos
Contracepção de Emergência
• Deve ser utilizada apenas em casos de
excepção - relação sexual não planeada,
acidente contraceptivo (ruptura de
preservativo, expulsão de DIU)
• Tomar até 72h após a relação
. Quanto mais cedo melhor
• Método Yuzpe: 2 cp po após relação sexual
+ 2 cp po 12h mais tarde
• 75% de eficácia
Contracepção de Emergência
Como actua?
• Bloqueia a ovulação
• Altera o muco cervical
• Altera o endométrio

Não é abortiva
Se já existe gravidez...
• Não a interrompe (não funciona)
• Nem provoca malformações
Contracepção de Emergência
Efeitos laterais
• Náuseas (50%)
• Vómitos (20%)

⇒ Anti-emético 60 minutos antes da dose


inicial do CO:
• Proclorperazina, 5 a 10 mg
• Prometazina, 12.5 a 25 mg
• Trimetobenzamida, 250 mg
Contracepção de Emergência
Duas opções

4 pílulas combinadas 2 pílulas só com progestativo


posologia posologia
. 2 cp o mais cedo possível . 1 cp o mais cedo possível
. 2 cp 12h depois dos primeiros . 1 cp 12h depois do primeiro
. Sujeito a receita médica . Venda livre
• Diafragma:
. deve permanecer
colocado até 6-
8h depois
. associar com
espermicidas
. pouco
recomendável a
adolescentes
• Preservativo
masculino:
. protege das DST
Depo-Provera
• Inibe ovulação
• 50 mg 3/3 meses
• Atrasa ovulação após interrupção
• Efeitos laterais principais:
. Amenorreia
. Aumento de peso
. Queda de cabelo
Norplant
• Duração ≤ 5 anos
• Efeitos laterais semelhantes
ao Depo-Provera
• Taxa média de falha ao
ano: 0.8/100
(Aumenta: > 2/100 após 5
anos)
• Ocasionalmente difícil de
remover
Dispositivo intra-uterino
• Nova T, Multiload - com cobre
• Mirena - com progestativo
• Elevada eficácia, reversíveis
• Não protegem das DST
• Podem permanecer ≤ 10 anos
Métodos naturais
• Abstinência periódica:
. Calendário
. Muco cervical
. Temperatura basal
• Coito interrompido

⇒ Baixa eficácia
⇒ Não protegem das DST
Métodos Contraceptivos - Eficácia
TAXA DE INSUCESSO
Método %
Nenhum 80 - 90
Método temperatura 6 – 25
Espermicida 4 – 25
Coito interrompido 8 – 17
Preservativo 2 – 15
DIU 0,5 – 4,0
Pílula 0,1 - 1
Doenças sexualmente
transmissíveis

• O contágio dá-se pelo contacto sexual

• Infecção por clamídea, gonorreia, herpes,


sífilis e .....

• Vírus da imunodeficiência humana (SIDA)


Conclusão
• Risco elevado de infecções sexualmente
transmitidas e de gravidezes indesejadas:
• juntamente com os seus parceiros sexuais
apresentam as taxas mais elevadas de DTS de
qualquer grupo etário

⇒ prescrição de método de barreira


juntamente com C.O.
Conclusão
• Maior probabilidade de interrupção dos C.O.
devido a efeitos secundários menores ou precoces,
tais como náuseas ou metrorragias:
• aconselhamento pormenorizado antes e depois
do início da toma dos C.O.
• Muitas adolescentes apreciam os benefícios não
contraceptivos de terem cataménios mais curtos,
interlúnios regulares, alívio da dismenorreia,
melhoria do acne e hirsutismo ⇒ encoraja a
aderência