You are on page 1of 53

DOENÇAS VALVULARES

• - Estenose
• - Insuficiência
• - Doença
DOENÇAS VALVULARES

ESTENOSE MITRAL

ETIOLOGIA

♥ Febre Reumática (98 % das substituições)


(25 % E. M. Pura)
(2/3 são mulheres)

♥ Congénita
♥ Lupus Eritematoso Sistémico
♥ Artrite Reumatoide
♥ Mucopolisacaroidose
DOENÇAS VALVULARES

ESTENOSE MITRAL

TIPO DE LESÃO
• - Espessamento da Comissura - 30 %
• - Lesão da Cúspide – 15 %
• - Fusão das Cordas - 10 %
• - Combinada - 45 %

Deformação da estrutura → Traumatismo fluxo turbulento


→ Fibrose progressiva → Espessamento → Calcificação
DOENÇAS VALVULARES

ESTENOSE MITRAL

CLÍNICA
• - Dispneia
• - Hemoptises
• - Dor Torácica
•-
• - Endocardite
Tromboembolismo
• - Tosse
DOENÇAS VALVULARES

ESTENOSE MITRAL

EXAME FÍSICO

• - Facies Mitral
• - Pulso Normal ou Fraco
• - Pulso Jugular
• - Frémito no Apex
Sexo Feminino 38 anos
DOENÇAS VALVULARES

ESTENOSE MITRAL

Área Normal = 4 a 6 Cm2

Estenose ligeira = 2 a 4 Cm2

Estenose Moderada = 1 a 2 Cm2

Estenose Severa < 1 Cm2


DOENÇAS VALVULARES
ESTENOSE MITRAL
1. É causada predominantemente pela Febre Reumática. Continua a
ter morbilidade e mortalidade significativas a nível mundial.
2. Há uma obstrução hemodinâmica com aumento da Pressão
Capilar Pulmonar e diminuição do Débito Cardíaco.
3. É predominante na mulher e tem uma evolução geralmente lenta.
4. A apresentação clínica é variável e depende muitas vezes de
outras valvulopatias associadas.
5. A Fibrilação Auricular é a arritmia que leva à descompensação
cardíaca com mais frequência e pode acarretar tromboembolismo
6. O Ecocardiograma é o exame mais importante para o diagnóstico
e seguimento dos doentes.
DOENÇAS VALVULARES
ESTENOSE MITRAL

• O Tratamento Médico inclui fármacos para diminuírem o impacto


da obstrução hemodinâmica, controle da F.A., redução do risco
tromboembólico e prevenção da Febre Reumática e da Endocardite.
• A Valvulotomia por Balão na Estenose Mitral pura substitui com
vantagem a cirurgia.
• O tratamento cirúrgico continua a ser o tratamento de escolha para
doentes sintomáticos com grandes deformações da válvula.
•Ainda que a História Natural da doença tenha sido dramaticamente
alterada pelos avanços terapêuticos, a erradicação da Febre
Reumática é o meio definitivo da cura.
DOENÇAS VALVULARES
INSUFICIÊNCIA MITRAL

Refluxo anormal de sangue do


Ventrículo Esquerdo para a
aurícula durante a sístole.
DOENÇAS VALVULARES
INSUFICIÊNCIA MITRAL
• Produz uma sobrecarga de volume do Ventrículo
Esquerdo.
• Leva a uma Hipertrofia Ventricular excêntrica.
• O Ecocardiograma é essencial para a vigilância da
disfunção Ventricular Esquerda.
• A terapêutica médica não é efectiva na
Insuficiência Crónica.
• A reparação ou substituição valvular deve ser
efectuada antes da fracção de ejecção atingir os
60%, quando o diâmetro telesistólico se aproxima
dos 45mm ou quando surgem os sintomas.
Prolapso Mitral
DOENÇAS VALVULARES
PROLAPSO MITRAL

• O Prolapso da Válvula Mitral representa deslocamento


sistólico anormal dos folhetos para a aurícula esquerda.
• É dominantemente uma doença hereditária do tecido
conjuntivo, com maior expressão genética na mulher.
• Pode ser diagnosticado pelo característico “click”
mesosistólico e pelo Ecocardiograma.
• Embora a maioria dos doentes sejam assintomáticos, pode
ocorrer Insuficiência Cardíaca, endocardite e disritmias.
• Está indicada a profilaxia da Endocardite com antibióticos.
• A cirurgia está indicada se houver Disfunção Ventricular.
DOENÇAS VALVULARES

ESTENOSE AORTICA

Adquirida Congénita
Estenose Aórtica
DOENÇAS VALVULARES
ESTENOSE AORTICA
• Os sintomas incluem Angina, Síncope e Insuficiência Cardíaca
• No exame físico encontra-se um Impulso do Apex sustentado, um
Sopro Sistólico crescendo decrescendo, segundo som apenas com
um componente e Pulso Carotídeo anormal.
• O Ecocardiograma mostra-nos a Função, a Geometria ventricular
a Anatomia da válvula e a Severidade da obstrução.
• A cirurgia está indicada nos doentes sintomáticos
• Os doentes assintomáticos devem fazer Profilaxia da Endocardite,
e receber educação específica no que respeita aos sintomas e
evolução da doença.
DOENÇAS VALVULARES
INSUFICIÊNCIA AORTICA
Aguda: - Endocardite – Dissecção -Traumatismo
Crónica:
- Doenças do Tecido Conjuntivo - 25%
- Doença Congénita - 13%
- Febre Reumática - 12%
- Endocardite infecciosa - 10%
- Esclerose da Válvula - 7%
- Outras Desconhecidas (Sífilis) - 35%
DOENÇAS VALVULARES
INSUFICIÊNCIA AORTICA

• - Nos casos Agudos a cirurgia é mandatória.


• - Nos casos de Endocardite um breve curso de antibioterapia
prévio pode ser necessário.
• - A insuficiência Crónica é frequentemente bem tolerada e
durante o período assintomático há um aumento progressivo do
Ventrículo Esquerdo.
• - A indicação cirúrgica nos casos crónicos decorre da presença
de sintomas ou de disfunção ventricular ( Fracção de Ejecção
inferior a 55% ou Diâmetro Telesistólico superior a 55mm ).
DOENÇAS VALVULARES

VALVULA TRICÚSPIDE
E
VALVULA PULMONAR
VALVULA PULMONAR

ESTENOSE
• - Congénita
• - Adquirida (Pouco Comum)

INSUFICIÊNCIA

• - Congénita
• - Endocardite
• - Secundária a HP
DOENÇAS VALVULARES
VALVULA TRICÚSPIDE E VALVULA PULMONAR

• - A causa Primária mais frequente da Insuficiência Tricúspide é a


Endocardite Bacteriana e a secundária Hipertensão Pulmonar
• - A Estenose Trcúspide é pouco frequente e geralmente bem tolerada.
Ocorre na Febre Reumática e no Síndrome Carcinoide.
• - A Estenose Pulmonar Congénita pode ser encontrada no Jovem.
• - A meio de Diagnóstico mais importante é a Ecocardiografia.
• - Os Diuréticos desempenham um papel primordial no tratamento da
doença da Válvula Tricúspide.
• - A Estenose Pulmonar pode ser corrigida por Valvulotomia de Balão.
Endocardite

Epidemiologia

• - Condições Sócio-económicas
• - Cardiopatias Congénitas
• - Próteses Valvulares
• - Drogas injectáveis
ENDOCARDITE e Drogas injectáveis
Endocardite
Sintomas % Sinais %
Febre 80 - 85 Febre 80 - 90
Arrepios 42 - 75 Sopro 80 - 85
Suores frios 25 Novo Sopro ou alteração 10 - 40

Anorexia 25 - 55 Alterações Neurológicas 30 - 40

Perda de peso 25 - 35 Fenómenos embólicos 20 - 40


Astenia 25 - 40 Esplenomegalia 15 - 50
Dispneia 20 - 40 Polipneia 10 - 20
Tosse 25 Avc 13 - 20
Cefaleias 15 - 40 Fenómenos hemorrágicos 5 – 15

Náuseas / vómitos 15 - 20 Nódulos de Osler 7 -10


Mialgias / atralgias 15 - 30 Petéquias 10 - 40
Nódulos de Osler

ENDOCARDITE
Endocardite
• - Define-se como a infecção do Endocárdio Causada por um
Microorganismo.
• - Regra geral o Endocárdio Valvular está envolvido
• - O Diagnóstico Precoce é essencial para o sucesso terapêutico.
• - O Ecocardiograma Transesofágico e as hemoculturas são os
dois grandes pilares do diagnóstico.
• - É necessário tratamento antibiótico apropriado durante pelo
menos quatro semanas.
• - A cirurgia Cardíaca é muitas vezes mandatória para melhorar o
prognóstico.